Pré-natal odontológico

14/05/2018 10:48:03
Foto: Divulgação

O pré-natal odontológico é um diferencial que é muito importante, tanto para a futura mamãe, quanto para seu filho. Segundo a dentista Daniela Yano, as consultas durante a gestação são primordiais para evitar problemas comuns deste período, como a infecção da gengiva, que afeta a saúde do bebê e pode levar, inclusive, ao parto prematuro. “Mais do que isso, elas servem para preparar os pais e oferecer-lhes o conhecimento necessário acerca dos cuidados que devem ser tomados nessa fase e também após o nascimento”, explica.

Quando realizar o pré-natal odontológico?

Para aquelas pacientes que ainda planejam uma gestação, é importante passar em consulta preventiva antes mesmo de iniciar a gravidez. Assim, é possível realizar todos os procedimentos necessários para alcançar plena saúde bucal – mesmo os mais invasivos – sem maiores preocupações. Dessa forma, os acompanhamentos durante a gravidez tornam-se mais tranquilos e sem intercorrências, tais como as dores de dente e as inflamações gengivais.

Para a futura mamãe que já se encontra em processo de gestação, as visitas ao dentista devem iniciar-se juntamente com o pré-natal médico e a frequência das consultas de acompanhamento dependerão da necessidade e do planejamento ideal para cada gestante. O segundo trimestre é o mais indicado para a realização dos procedimentos curativos, mas o acompanhamento odontológico deve ser constante durante toda a gestação.

“É importante lembrar que os procedimentos podem ser realizados em qualquer fase da gestação de forma segura, pois os profissionais seguirão protocolos específicos para cada necessidade e são capacitados também para administrar medicamentos e anestésicos quando necessário.”

A importância do pré-natal odontológico

Atualmente, existem pesquisas que comprovam inúmeros conceitos importantes tanto para as crianças, quanto para os bebês ainda em gestação. Como por exemplo, a associação da infecção gengival da gestante com partos prematuros e ao nascimento de bebês com baixo peso, pois se sabe que as bactérias presentes na boca podem migrar para o líquido amniótico causando essas complicações. Desta forma, a supervisão de um dentista pode proporcionar uma gestação mais tranquila.

As futuras mamães precisam de cuidados bucais especiais também por que ficam mais suscetíveis a inflamação gengival, conhecida como gengivite gravídica. Isso acontece por que, durante a gestação, há um aumento do nível de hormônios que são capazes de dilatar os vasos sanguíneos dos tecidos ao redor dos dentes. “O tratamento nesses casos é muito importante, pois a gengivite (não somente durante a gravidez) pode evoluir para um quadro de doença periodontal, que causa perda do osso ao redor dos dentes”, pondera a dentista. As mudanças hormonais, da alimentação e também o mal-estar que ocorrem nesse período, podem modificar a composição da saliva e o pH da boca, deixando os dentes mais suscetíveis ao aparecimento da doença cárie.

Após a chegada do bebê

É importante que os pais estejam cientes dos cuidados que devem ser tomados com relação à saúde bucal do bebê antes mesmo da sua chegada. Por isso Daniela Yano expica que, durante as consultas, a gestante receberá orientações sobre o aleitamento materno, o teste da linguinha, a utilização de mamadeiras e chupetas, como e quando realizar a higiene da cavidade bucal do bebê, além de sanar as dúvidas comuns desta fase.

Postado por MICHELLE TREICHEL- michelle@gazetadosul.com.br
Gazeta Grupo de Comunicações
Rua Ramiro Barcelos, 1206 | Santa Cruz do Sul - RS
(51) 3715-7800 | portal@gaz.com.br
Desenvolvido e Mantido por
Equipe de TI Gazeta Grupo de Comunicações