Campanha de vacinação entra na reta final

13/09/2018 09:24:21
Foto: Divulgação

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo termina nesta sexta-feira em todo Brasil. Após ter sido estendida devido aos baixos índices de cobertura, agora a estimativa do Ministério da Saúde é chegar aos 95% do público-alvo: 11,2 milhões de crianças com idade entre um ano até quatro anos 11 meses e 29 dias. Na última terça-feira, dados preliminares do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) indicavam que a média nacional de vacinação do sarampo estava em 94,7% e da poliomielite, 93,6%.

Na abrangência da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), até o momento, os 13 municípios alcançaram a cobertura de 95,49% (14.446 crianças) com a vacina da pólio e cobertura de 94,90% (14.357 crianças) com a vacina do sarampo. “De uma forma geral, já alcançamos a meta da vacina da pólio e falta pouco para a vacina do sarampo”, explica a enfermeira Marlene Webber Andriolo. No entanto, ressalta que essa cobertura não é homogênea, pois cinco municípios já atingiram a meta, mas há outros cinco que ainda estão com a cobertura abaixo de 90%.

Conforme a enfermeira Jaqueline T. Müller, é importante que as crianças sejam vacinadas contra a poliomielite para que se possa reduzir ou eliminar os bolsões de não vacinados e, consequentemente, evitar o ressurgimento da doença no País, já que ainda permanece endêmica em três países (Afeganistão, Nigéria e Paquistão). Em relação ao sarampo, lembra que no Rio Grande do Sul foram confirmados 23 casos apenas este ano. “Desse modo, reforça-se a necessidade da vacinação a fim de captar crianças ainda não vacinadas ou que não obtiveram resposta imunológica satisfatória à vacinação, minimizando o risco de adoecimento dessas crianças.”

Entenda

Na abrangência da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), cinco municípios já ultrapassaram o índice de 95% do público-alvo – alguns, inclusive, apresentam porcentagens superiores a 100%. Segundo a enfermeira Marlene Webber Andriolo, há dois fatores que podem justificar esses resultados: uma população subestimada de crianças dessa faixa etária pelo Ministério da Saúde e ainda a procura de crianças de municípios vizinhos pelos postos. No caso de Mato Leitão, por exemplo, que já atingiu cobertura de 151,95%, há a possibilidade de famílias de Cruzeiro do Sul e Venâncio Aires terem ido até às unidades. Já em municípios como Gramado Xavier, Herveiras e Sinimbu, que sequer alcançaram 80% de cobertura vacinal até a tarde de ontem, Marlene acredita que a possibilidade é de que o público-alvo esteja superestimado.

Postado por MICHELLE TREICHEL- michelle@gazetadosul.com.br
Gazeta Grupo de Comunicações
Rua Ramiro Barcelos, 1206 | Santa Cruz do Sul - RS
(51) 3715-7800 | portal@gaz.com.br
Desenvolvido e Mantido por
Equipe de TI Gazeta Grupo de Comunicações