Dicas para priorizar o autocuidado durante a gestação

14/06/2019 15:24:34
Foto:

O período da gestação, parto e pós parto é complexo e único. É quando a mulher vivencia intensas transformações corporais, psicológicas e sociais que repercutem na sua vida. Neste período, se fala e se orienta muito para garantir o melhor desenvolvimento ao bebê, mas ainda se fala e se orienta pouco sobre uma questão que talvez seja a mais importante de todas: preservar o bem-estar e a saúde da mulher, sua integridade física e emocional, suas necessidades específicas para que ela tenha melhores condições de maternar.

Em uma conversa com profissionais de saúde, elencamos cinco dicas para ajudar a priorizar o autocuidado na gestação:

Busque informação adequada com profissionais e em publicações confiáveis. Educação em saúde é um importante passo na fase pré-natal, segundo o médico obstetra Leandro Assmann, que atua na cidade de Santa Cruz do Sul. Ele explica que ao longo dos anos o tema da gestação têm gerado múltiplos mitos com publicações na internet sem embasamento de profissionais de saúde. Desta forma, segundo ele, checar a fonte das informações e exigir informações embasadas em conhecimento científico, não apenas em experiências, é essencial.

A doula Verônica Christimann Varela, que atua em Porto alegre e região metropolitana, recomenda também a busca por informações de qualidade em oficinas, grupos e rodas de conversa sobre o tema. Ela indica também, se possível, ter uma equipe multidisciplinar que apoie suas escolhas. “Buscar o autoconhecimento, elaborar um Plano de Parto para o dia, conhecer seu corpo e como funciona a fisiologia do parto para que o desconhecido não a assuste durante o processo também é importante”, ressalta.

Mantenha-se ativa durante toda a gestação, pratique exercícios adequados ao período e faça alongamentos

É importante se mexer, praticar exercícios e desenvolver a consciência corporal. Soltar o quadril, rebolar, se movimentar sem medo e sem receios é uma dica preciosa para durante o trabalho de parto se conectar com a experiência e saber fazer os movimentos que o corpo pede.

Verônica recomenda meditação para aprender respirar, yoga e também exercícios com a Faixa Elástica para Exercícios da Mercur, com a qual é possível fazer alongamentos que aliviam dores na lombar. A respiração plena, necessária durante os exercícios, vai ajudar não apenas no momento do parto, mas a reduzir a ansiedade e se sentir mais leve. Esses aprendizados podem ser mantidos para a vida, não apenas para a fase.

Tenha uma alimentação saudável

Uma má alimentação pode acarretar em problemas como constipação, alergias alimentares, enjoos, câimbras, inchaços e problemas de circulação, infecções urinárias recorrentes, diabetes gestacional, anemia, entre outros. Segundo a nutricionista Roberta Santos, especialista em nutrição clínica funcional que atua em Porto Alegre e Florianópolis, é importante buscar conhecimento a respeito da reconfiguração do organismo durante a gestação.

Ela sugere a adoção de hábitos saudáveis necessários a essa fase que sejam compatíveis com a rotina, de maneira que possa ser uma prática possível. “Prefira alimentos frescos e naturais em detrimento ao consumo de industrializados. Consuma nas principais refeições (café da manhã, almoço e jantar) um componente de cada grupo alimentar como carboidrato integral, leguminosas, proteína de origem animal, legumes, verduras e frutas. Varie qualidade e tipos e faça uma adequação das quantidades”. Comer bem também é um aprendizado para a vida.

Cerque-se de uma equipe multidisciplinar que vá lhe fornecer informações baseadas em evidências científicas

Obstetra, fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista, enfermeiro, doula, entre tantos outros profissionais capacitados podem contribuir com informações e orientações úteis ao seu processo. “É preciso buscar ajuda, seja com profissionais médicos ou de outras áreas, mas não esperar que apenas exames ultrassonográficos e outras tecnologias disponíveis, que são importantes sim, na medida certa, embasem os seus cuidados durante a gestação. Conversar, questionar, tirar dúvidas, diminuir seus medos trará maior confiança e tranquilidade para todo esse processo”, ressalta o obstetra Leandro.

Neste mesmo sentido, a doula Verônica ressalta a importância de se repensar as práticas de atenção à mulher pelos profissionais de saúde para que busquem e promovam ações e práticas que possam atender reais necessidades, da forma mais humanizada e multidisciplinar possível, respeitando os aspectos psicossociais da mulher.

Use as redes sociais com moderação, a comparação é amiga da frustração

A gravidez é um processo único para cada mulher. Há muita informação disponível e você deve seguir o que se aplica a você, a sua realidade, a sua rotina. Sem julgamento. Sem culpa. O obstetra Leandro Assmann comenta que em época de superexposições na internet, a gestação passa também por este momento em que a mulher parece ser forçada a demonstrar que sente plena felicidade e que o filho que virá é a coisa mais importante e, por isto, o centro das atenções.

“Não podemos esquecer que este período é, antes de tudo, da gestante, pois é ela quem passa por intensas mudanças físicas e psíquicas e que determinam, nem sempre, aquela esperada felicidade a todo momento. E que determinam também medos, angústias e muitas dúvidas. Não se deve superestimar o aconselhamento e a pressão que o ambiente determina sobre a grávida. Ela tem sim seus medos e apreensões, por isso procurar ajuda por meio da escuta, buscando compreensão e orientação parece ser o melhor caminho para que uma gestação ocorra da maneira mais plena possível”, sugere Assmann.

Se conecte com as suas necessidades

Para aliviar os desconfortos como inchaço ou dificuldades, travesseiro no meio das pernas e na lombar, um banho demorado e morno para relaxar todo o corpo antes de dormir e manter os pés aquecidos com uma Bolsa Para Água Quente. Para ajudar no alívio da tensão sobre músculos e ligamentos e auxiliar na circulação sanguínea, diminuindo o desconforto das pernas e costas, é possível utilizar uma Órtese Abdominal para Gestante.

Talvez você não tenha os mesmos sintomas que outras mulheres, por isso procure falar, expressar suas dores e angústias, compartilhar para buscar o que é melhor para você. Verônica conta que seu principal aprendizado na caminhada como doula que dá suporte a mulheres e suas famílias neste processo é sobre como a mulher pode se surpreender com sua força. “Uma mulher empoderada, é capaz de mover montanhas. E vejo famílias nascerem após uma experiência cheia de amor, carinho e segurança, com muito mais empatia e união”, conta.

Foto: Priorizar o autocuidado durante a gestação também é importante para o bebê
Postado por MICHELLE TREICHEL- michelle@gazetadosul.com.br
Gazeta Grupo de Comunicações
Rua Ramiro Barcelos, 1206 | Santa Cruz do Sul - RS
(51) 3715-7800 | portal@gaz.com.br
Desenvolvido e Mantido por
Equipe de TI Gazeta Grupo de Comunicações