5 vantagens de passar as férias brincando em inglês

16/07/2019 16:26:59
Foto: Divulgação

É fato que as crianças têm mais facilidade na captação de um novo idioma, mas para efetivamente acontecer o processo de aprendizado é preciso interação com os pais, amigos e conhecidos na segunda língua. É importante os pais se atentarem que, por meio de jogos e brincadeiras, os pequenos podem conseguir aprender novas palavras em outro idioma e até elaborar frases.

Um fator importante é a idade: até os 4 anos de idade os pequenos não desenvolveram o hipocampo completamente, parte do cérebro responsável por "arquivar" e "lembrar" dados numéricos e palavras. Por isso, não é necessário ficar preocupado com os filhos por não lembrarem do que aprenderam. A interação e a brincadeira valem muito mais.

Dos 4 aos 6 anos de idade já é um período excelente para brincar com as crianças com jogos e brincadeiras ao ar livre em inglês, usar tablets, assistir desenhos em outro idioma e até a famosa brincadeira "gato-mia" falando em inglês. Isso porque até os 6 anos a criança consegue aprender diferentes idiomas de forma uniforme e o hipocampo já está totalmente formado.

A CEO da rede Minds Idiomas, Leiza Oliveira, tem dois filhos e apostou na tecnologia no ensino do inglês, dentro e fora da sala de aula. Nas 72 unidades da Minds, há preocupação com a captação do inglês de forma lúdica e leve para as crianças. Pensando nisso, Leiza mostra 5 motivos para os pais brincarem em inglês nessas férias no meio de ano:

1. Elogie os acertos dos pequenos: essa atitude melhora o desempenho deles na escola e na vida. Vale brincar com as crianças com jogos de tabuleiro, tablets, APPs, jogo stop, enfim. O importante neste processo é elogiar os filhos e encorajá-los a não terem medo de errar palavras novas! Cada palavra positiva incentiva a criança a querer ir bem na escola e no aprendizado. E o melhor de tudo: brincando.

2. Dê independência para as crianças brincarem em inglês com vizinhos, amigos e parentes. É ótimo os pais brincarem com as crianças, mas o fator superproteção também atrapalha, pois o filhos ficam condicionados como devem aprender e organizar lições e até as brincadeiras. A sinergia entre pais, conhecidos e familiares só tem a agregar as crianças e a interação amplia a captação dos conhecimentos pelo hipocampo.

3. Estude brincando com as crianças: não bombardeie com excesso de conteúdo. Esse é um dos fatores mais importantes da lista, pois cada pessoa tem uma forma de aprender e um "time" para isso. O excesso de conteúdo pode dispersar a atenção das crianças. Quanto mais informação as crianças tenham que reter, mais vão lhe vai custar se concentrarem. Aprender inglês pode ser leve e basta os pais brincarem em outro idioma. Vale jogar bola, pega- pega e ler antes dos pequenos dormirem.

4. Música para tomar banho e brincar. A música interfere no cérebro tanto das crianças quanto dos adultos. Até o tempo passa diferente quando escutamos as canções que gostamos e que mexem com a gente. Logo, uma forma de aprender inglês sem perceber, é colocar músicas infantis nas brincadeiras do dia a dia. O cérebro possui uma capacidade limitada de recebimento de conteúdo, assim nossa atenção fica na música enquanto tomamos banho, por exemplo. É uma forma de aprender novas palavras.

5. Se arrisquem brincando em inglês mesmo sem saber o idioma. É isso mesmo. Se você matriculou os seus filhos em uma escola letiva ou mesmo em um curso de inglês extracurricular, se arrisque. A sua capacidade de aprendizado sempre existirá e as crianças podem lhe ajudar a crescer no idioma. As crianças se sentem tomadoras do conhecimento e esta partilha aumentará o laço de troca de experiência entre os pais e os filhos.

Postado por MICHELLE TREICHEL- michelle@gazetadosul.com.br
Gazeta Grupo de Comunicações
Rua Ramiro Barcelos, 1206 | Santa Cruz do Sul - RS
(51) 3715-7800 | portal@gaz.com.br
Desenvolvido e Mantido por
Equipe de TI Gazeta Grupo de Comunicações