Sobradinho 26/04/2019 11h11

Moradores do Bairro União querem ajuda para reforma da Capela

Construção foi feita por volta do ano de 1981 e apresenta danos visíveis

Toda comunidade tem, ou deveria ter, de acordo com preceitos da antropologia cultural, seus próprios locais de ritos. Quando não há quem os construa, seja instituição religiosa ou Pública, os próprios moradores, com sua força de trabalho, erguem as paredes de seus templos. No Bairro União, em Sobradinho, um dos mais carentes da cidade, a Capela da Comunidade São Francisco de Assis, de fato foi erguida com o suor das pessoas do local, por volta do ano de 1981. A obra, feita em madeira, apresenta atualmente diversas melhorias que precisam ser realizadas com urgência.

Por isso, a presidente da Capela e Salão da Comunidade, Emília Ferraz Machado, juntamente com lideranças sociais e membros da diretoria, deram início a uma campanha de arrecadação de recursos para a reforma do local. Conforme Emília, ainda não se tem uma ideia concreta do valor que será gasto com a obra, uma vez que será necessária a troca de toda a parte de madeira do exterior, que nunca foi substituída. “A Capela precisa de uma reforma e estamos pedindo a ajuda de todos que puderem contribuir com essa causa”, explica Emília.

Além das melhorias nas áreas internas e externas, também será necessária a colocação de um novo poste, pois o atual está precário. “Não temos recursos suficientes para esta reforma, somos uma Associação modesta, por isso é muito importante essa mobilização em torno de nosso local de fé”, comenta.

De acordo com Emília, todas as formas de ajuda são bem-vindas, seja em dinheiro ou em materiais de construção. Quem quiser contribuir, basta procurar os integrantes da diretoria, ou depositar, a quantia que for, em caixas de coleta que foram colocadas na Casa da Banha e Mercado Soares. “Qualquer moeda será utilizada para a nossa obra, que além de necessária, dará um aspecto mais bonito para toda a comunidade”, comenta Emília.

Foto: Gazeta da Serra/Raphael CapelariEmília também falou em entrevista ao Giro Regional da Gazeta FM
Emília também falou em entrevista ao Giro Regional da Gazeta FM


Locais de fé
A história da humanidade é marcada pelo sentimento religioso. Todas as grandes religiões têm seus templos. Os mulçumanos se encontram na Mesquita; os judeus na Sinagoga; os católicos se encontram na Igreja, ora chamada de Catedral, ora de Basílica ou ainda a Paróquia, que agrega e reúne em família para a festa da fé. Diante disto, o que chama a atenção é a ligação entre Deus e o lugar onde se fala com Deus. As duas realidades são inseparáveis: falar e se encontrar com Deus.

Quanto mais as pessoas se aprofundam na espiritualidade, mais percebem a relação entre Deus e o lugar que favorece esse encontro. Crer em Deus é uma adesão pessoal, mas celebrar a fé é uma necessidade comunitária. A oração pessoal faz parte da vida cristã. E, quando as pessoas com fé se reúnem num Templo, sentem de um modo particular aquilo que o Senhor disse: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, Eu estarei no meio deles” (Mt 18,20). Fonte: cancaonova.com