Páscoa 01/04/2021 10h47

Semana Santa mobiliza Associação dos Piscicultores do Município de Sobradinho

22 famílias integram o grupo, criando quatro tipos de carpas que são a capim, húngara, prateada e cabeça grande

Tradicionalmente, o peixe é um alimento consumido, especialmente, durante a Sexta-Feira Santa, quando fiéis de algumas religiões adoram a abstenção de carnes vermelhas. Assim, a Semana Santa representa um dos momentos mais esperados do ano pelos piscicultores.

Conforme o presidente da Associação dos Piscicultores do Município de Sobradinho, Irineu Dorz, morador de Linha Brasileira, 22 famílias integram o grupo. Eles criam quatro tipos de carpas que são a capim, húngara, prateada e cabeça grande. Contudo, segundo ele, a produção de tilápias está crescendo bastante. “Acredito que em pouco tempo deverá se tornar o peixe mais criado em nosso município. Em escala inferior, temos também os jundiás, traíras, surubi, pacu, entre outros”, acrescentou.

A comercialização dos pescados pelos integrantes da associação ocorre em feiras e diretamente com o produtor. Dorz destaca que a Semana Santa certamente é o principal momento para venda, mas estão trabalhando para que os produtores possuam pescados para fornecer ao longo do ano e atender a demanda de consumo.

De acordo com o presidente, não há nenhuma família da associação com sua renda principal focada na produção de pescados, mas muitas famílias agregam um bom valor em seus orçamentos. “Já que a maioria dos piscicultores cria seus peixes para consumo próprio, melhorando sua alimentação e também fazendo economia em aquisição de outras proteínas”, explica.

Dorz ressalta que a assistência técnica e o conhecimento científico são a base para a criação de peixes, ainda mais quando se trata de uma atividade que envolve muitos elementos da natureza, em todos os períodos do ano. Conforme o presidente, os piscicultores tem o privilégio de possuir uma equipe da Emater que está sempre apoiando, tanto em cursos, como atenta a tudo que surge de novidades em relação à piscicultura.

Segundo Dorz, o apoio se dá principalmente na figura do ex-chefe do Escritório Municipal da Emater, Adriano Dreher, que na última segunda-feira, 29, assumiu a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente. “Ele é um apaixonado pela piscicultura, desde a produção à culinária, sendo uma referência em nível estadual e responsável por manter uma relação constante com nossos produtores”, salientou Dorz.

Feira do Peixe na Semana Santa
A Administração Municipal de Sobradinho, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente e apoio da Emater, promoveu a comercialização de pescados durante a Semana Santa em forma de feira livre, com venda direta dos piscicultores. A feira ocorreu nos dias 30 e 31 de março, na Praça Cornedo Vicentino.

Na terça-feira, 30 de março, Joni Toebe Meili, de Linha Carijinho estava presente na feira coordenando a venda de pescados do filho Rudolfo Schneider, comercializando filé de tilápia e carpa. Ela destacou que a criação de peixes é um incremento na renda. Joni contou que felizmente a comercialização de pescados é frequente ao longo do ano.

Foto: Katieli Kohls/Gazeta da SerraJoni Toebe Meili
Joni Toebe Meili

Quem também esteve presente na feira, pela primeira vez, foi o casal Leandro Cremonese e Gilciane Dal Ri Cremonese, moradores de Linha Brasileira. A família comercializa filé de tilápia. Leandro destacou que a expectativa era comercializar 400 quilos de filé. Ele ressaltou que a Semana Santa é o principal ponto de comercialização da produção durante o ano.

Foto: Katieli Kohls/Gazeta da SerraGilciane e Leandro Cremonese
Gilciane e Leandro Cremonese

Conforme a Emater, foram comercializados na feira deste ano em torno de 1.900 quilos de pescados. Os piscicultores que participaram da feira são membros da Associação dos Piscicultores do Município de Sobradinho e contam com acompanhamento técnico da produção ao abate.


LEIA TAMBÉM: Venda de peixes nas feiras rurais encerra nesta quinta