Cinema 01/02/2018 08h29 Atualizado às 10h35

'The Post' e 'O Destino de uma Nação' estreiam em Santa Cruz

Longas concorrem ao Oscar na categoria de Melhor Filme

Foto: Divulgação

The Post
The Post

Dois fortes candidatos ao Oscar 2018 de melhor filme, The Post: a Guerra Secreta e O Destino de uma Nação estão em cartaz nas salas 1 e 2 do Cine Santa Cruz, junto ao Shopping Santa Cruz. O legal é que, com isso, a cidade é contemplada com uma concomitância nacional – muito especialmente no caso do The Post, que entra hoje em cartaz, simultaneamente, nos principais cinemas brasileiros. O Destino... já está no País há um pouco mais de tempo, mas nem tanto assim. 

The Post: a Guerra Secreta fala dos tensos dias que precederam a decisão do jornal The Washington Post, em 1971, de publicar os Documentos do Pentágono, a história secreta do governo sobre a Guerra do Vietnã. O New York Times teve a história em primeira mão, mas foi proibido de publicar a série completa depois que o governo Nixon ganhou uma liminar judicial. Foi quando o Post decidiu continuar a publicá-la. Os documentos eram nitroglicerina pura. Mostravam, por exemplo, como a participação americana na guerra aumentara, ao contrário do que fora dito à população. E que não havia perspectivas de vitória. Ou seja, o governo mandava jovens para a morte inútil. 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DO CINEMA

Dirigido por Steven Spielberg, o filme tem Meryl Streep (mais uma vez concorrendo ao Oscar de melhor atriz) como Katharine Graham, a editora do The Post, que entrou por conta própria no desafio à ordem do presidente Nixon, e Tom Hanks como o lendário editor Ben Bradlee. É também a primeira vez que os três ícones de Hollywood – Spielberg, Streep e Hanks – trabalham juntos. Há uma cena em que Katharine, em seu momento de glória, se mistura a um grupo de mulheres. Essa imagem de protagonismo feminino sintetiza um dos sentidos possíveis do filme. 

O foco é no Washington Post, jornal até então provinciano. E em Katharine (Meryl), dondoca bem relacionada no primeiro escalão do governo. O dilema é se divulga ou não os Papéis do Pentágono e entra em rota de colisão com a Casa Branca, ou se os omite e conforma-se com sua posição subalterna.