O pêndulo do relógio 18/01/2017 12h26

Vamos sorrir, brasileiros!

O riso aproxima e atrai coisas boas; cura as feridas da alma. Rir é uma maneira de aniquilar as tensões

O mano Pêndulo surpreendeu-me. Com uma gargalhada de lavar a alma. De fazer seguidores. Alguém começa e olha lá, os outros no mesmo compasso ... 

Fui despertada com o riso do mano velho. Recordei-me de anedotas; de papos memoráveis... Amizade e cerveja gelada. Momentos em que a gente tem soluções para os problemas do País e do Universo... Pessoas muito vivas e si mesmas. Sedentas de felicidade. Coisa boa é a diversão – necessariamente sadia – com gente que compreende anedotas... Pior castigo é ter que explicar o inexplicável.    

Contar piadas é um dom. Às vezes, sem graça nenhuma. Tipo “um elefante caiu na lama”... Dependendo de quem conta a anedota, a reação é diferente. Minha mãe tinha uma amiga incrível. A cara dela, produzida, era o máximo. E a gente ria.

Lembrei-me de nosso bispo D. Canísio Klaus, agora no Mato Grosso. Era divertidíssimo ouvir o prelado, tão sério em seus misteres pastorais, contar passagens de sua vida – ainda seminarista e jovem padre – pontuadas de incrível charme e muito humor. Uma vez quase morri de rir ao ouvi-lo dizer que precisou tocar o órgão – não sabia – em um casamento na roça... Imperdível a maneira como contava o “causo”.

Isso é um dom de Deus, minha gente. 

Hoje, 18 de janeiro, é o Dia Internacional do Riso. Diria a vosmecês – muito cá entre nós – que a data não é exclusiva. Vinte e oito de abril e 8 de novembro são tidos como também dedicados à delícia que é dar aquela risada purificadora de corpo e alma. Que faz massagem na alma. Muito melhor que 200 mil sessões de terapia, não é mesmo?

O Cristianismo é uma religião alegre. Papa Francisco reforça essa condição necessária para os seguidores de Jesus. Que comemorava com os discípulos. E que exaltou no Espírito (v. Jo). Nossa Senhora é chamada de Maria Letícia: Maria Alegria. A leitura de o  Magnificat – o Cântico de Maria, do evangelho de Lucas, é transbordante de contemplação de sorrisos de júbilo.       

O riso aproxima e atrai coisas boas; cura as feridas da alma. Rir é uma maneira de aniquilar as tensões. Movimentamos músculos e isso é um exercício facial de primeira. O psiquiatra alemão Rolf Hirsch lembra que a risada é tão importante que existe até a terapia do riso, empregada no tratamento de doenças psicológicas. 
Rir, gargalhar e sorrir com alegria é coisa de quem tem fé. 

Paulo apóstolo chegou à compreensão do sentido – profundo – da perfeita alegria. Exorta-nos a que nos alegremos na esperança e que nos alegremos com os que se alegram (Rm 12 e 15).

Quem se alegra, naturalmente sorri. Termino citando versos de Chaplin, em Smile (Sorriso), linda na voz de Tony Bennet.

“Light up your face with gladness, Hide every trace of sadness, although a tear maybe ever so near” – Ilumine sua face com alegria, esconda cada traço de tristeza, embora uma lágrima seja tão próxima, talvez”... 
Que o Senhor da Vida – a Infinita Surpresa – aqueça a alegria do Brasil, tão fraquinha...