Semana decisiva 09/07/2018 23h39 Atualizado às 08h39

Primeiro finalista da Copa do Mundo sai do duelo desta terça

França, campeã mundial em 1998, desafia a sensação Bélgica em São Petersburgo a partir das 15 horas por vaga na finalíssima na Rússia

Foto: AFP

Franceses e belgas travam confronto considerado como uma final, pois ambas as equipes passaram pelos adversários mais difíceis
Franceses e belgas travam confronto considerado como uma final, pois ambas as equipes passaram pelos adversários mais difíceis

A Copa do Mundo da Rússia conhece nesta terça-feira o primeiro finalista. Seja a França ou a Bélgica a vencedora do confronto semifinal na Arena Zenit, em São Petersburgo, com início às 15 horas (de Brasília), uma equipe estará na decisão de domingo, em Moscou, com os mesmos atributos. Será a favorita ao título por ter passado por um caminho bem mais difícil no torneio e terá coroado um trabalho exemplar de formação de talentos e de construção de elenco.

Os dois países mostraram na Rússia um futebol ofensivo, velocidade e, principalmente, juventude. A França tem um dos grupos mais jovens da Copa do Mundo, com média de idade de 26 anos, e como destaques os atacantes Mbappé, de 19, e Griezmann, de 27. A Bélgica, um pouco mais experiente (média de idade de 27 anos), tem o melhor ataque da competição, com 14 gols, e o vice-artilheiro, Romelu Lukaku, de 25 anos e quatro gols marcados.

LEIA MAIS: Copa terá semifinais sem 'gigantes' pela 1ª vez desde 1930

Esses jovens jogadores terão a chance de, nesta semifinal, deixarem o rótulo de promessas para igualarem o que apenas gerações históricas fizeram por seus países. Os franceses podem igualar a equipe comandada por Zinedine Zidane, que colocou a seleção em final de Eurocopa e em duas decisões de Mundial. “Nosso time é jovem, mas evoluiu nos últimos anos e cresceu neste torneio. Estamos prontos para ir além”, disse o técnico francês Didier Deschamps. Os belgas sonham em obter o melhor resultado do país no torneio da Fifa e ir além da semifinal, alcançada em 1986.

O meia belga Kevin de Bruyne, autor de um gol contra o Brasil, revelou nessa segunda-feira estar emocionado com a vaga na semifinal e relembrou que o momento é resultado de um trabalho de anos da seleção. “Eu penso que a Bélgica tem potencial. Estamos há sete ou oito anos jogando juntos. Talvez alguns jogadores não acreditassem que iríamos tão longe, mas agora podemos ir até o fim”, comentou.

O caminho das duas equipes até a semifinal foi complicado e justifica o motivo de que o ganhador do jogo em São Petersburgo será o favorito no domingo. A França derrubou campeões como a Argentina, de Lionel Messi, e o Uruguai, de Luis Suárez, para chegar a esta etapa. A Bélgica superou a fama de amarelar ao conseguir a virada de 3 a 2 sobre o Japão e derrotar o Brasil nas quartas de final.

Esses resultados não foram construídos de uma hora para outra. A França tem o mesmo treinador há seis anos e uma base que esteve junta na Copa do Mundo de 2014 e no vice da Eurocopa, em 2016. A Bélgica desfruta do trabalho de mais uma década para reformular as categorias de base, com a unificação de sistema de jogo 4-3-3 e da captação de talentos. O resultado veio agora. (AE)

Foto: DivulgaçãoFranceses e belgas travam confronto considerado como uma final, pois ambas as equipes passaram pelos adversários mais difíceis
Franceses e belgas travam confronto considerado como uma final, pois ambas as equipes passaram pelos adversários mais difíceis

SEMIFINAIS

Jogo 1 – Terça-feira – 15h
Arena Zenit
São Petersburgo

FRANÇA
Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Lucas Hernandez; Kanté, Pogba e Matuidi; Mbappé, Giroud e Griezmann Técnico: Didier Deschamps

BÉLGICA
Courtois; Alderweireld, Vertonghen e Kompany; Carrasco, Witsel, Fellaini, De Bruyne e Chadli; Eden Hazard e Lukaku Técnico: Roberto Martínez

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai)
TV: RBS TV, Sportv, Fox Sports e Fox Sports 2

 

CROÁCIA x INGLATERRA
Jogo 2 – quarta-feira, 15h
Moscou

FINAIS

3º lugar – Sábado, 11h
São Petersburgo
Perdedores dos jogos 1 e 2

Finalíssima – Domingo, 12h
Moscou
Vencedores dos jogos 1 e 2

Apito brasileiro

Dois brasileiros estão entre os 48 profissionais da equipe de arbitragem que podem atuar nas últimas partidas da Copa do Mundo na Rússia, que terminará no próximo domingo. Continuam à disposição do torneio Sandro Meira Ricci e Wilton Pereira Sampaio, este último na função de árbitro assistente de vídeo (VAR). (Folhapress)

LEIA MAIS