Obras 05/02/2018 12h53

Escolas estaduais recebem recurso de R$ 11 milhões para reformas

Santa Cruz do Sul e outras cidades da região estão entre as contempladas

Alunos, professores e funcionários de 80 escolas estaduais, de 57 municípios, vão encontrar prédios e ambientes melhores quando voltarem às aulas. Nesta segunda-feira, 5, o vice-governador José Paulo Cairoli assinou a ordem de início das obras, em cerimônia no Palácio Piratini. A maioria é de caráter emergencial para consertar os estragos causados pelos temporais do segundo semestre de 2017. O investimento total é de R$ 11.624.992,00. Os recursos são divididos entre o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) - R$ 6.693.064,00 - e o governo do Estado - R$ 4.985.928,00.

Cairoli representou o governador José Ivo Sartori, que cumpre agenda oficial em Brasília. O vice-governador falou de algumas prioridades do governo. “Nessa caminhada de mudanças, nosso esforço é preservar o que é essencial. E a Educação é essencial. Nosso esforço é para cumprir o nosso dever constitucional, destinando dinheiro do caixa único para a Educação. Estamos dando qualidade para nossos estudantes e pensando nas próximas gerações”, afirmou.

Segundo o secretário da Educação, Ronald Krummenauer, mais de 130 mil alunos vão ser diretamente beneficiados. Ele explicou que serão 81 obras em 80 escolas. Dessas, 60 são emergenciais e serão pagas pelo Estado. O restante, que o secretário classificou como reformas programadas, será financiado com verba do Bird.

“Conseguimos agilizar o processo. Algumas obras já começaram, e temos a expectativa de que a maioria estará pronta no início do ano letivo, entre o fim de fevereiro e o começo de março. As que não estiverem prontas certamente estarão bem adiantadas, para que os alunos tenham o menor prejuízo possível”, informou.

O secretário de Obras, Saneamento e Habitação, Fabiano Pereira, disse que, com a ordem de início, as obras devem ficar dentro do prazo, até março. “A maioria dos estragos aconteceu em outubro, com ventos e granizos. Muitas escolas foram destelhadas e ficaram com a estrutura comprometida, sem cobertura, sem muro. Como são obras emergenciais, houve a dispensa de licitação. O critério foi o menor orçamento apresentado pelas empresas. Tem serviços que custam entre R$ 20 mil e R$ 1 milhão, varia muito”, explicou.

As 57 cidades beneficiadas são: Agudo, Alecrim, Alegria, Arroio do Meio, Balneário Pinhal, Barros Cassal, Cachoeira do Sul, Cachoeirinha, Canguçu, Canoas, Capão do Cipó, Carazinho, Caxias do Sul, Colinas, Condor, Cruz Alta, Derrubadas, Dezesseis de Novembro, Erebango, Ernestina, Esteio, Gravataí, Guaíba, Horizontina, Independência, Jacuizinho, Joia, Minas do Leão, Muliterno, Nova Esperança do Sul, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Panambi, Passo Fundo, Porto Alegre, Rio Grande, Roca Sales, Ronda Alta, Salto do Jacuí, Santa Bárbara do Sul, Santa Cecília do Sul, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santo Antônio da Patrulha, Santo Cristo, São Borja, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Sério, Sertão, Soledade, Tapejara, Tupanciretã, Uruguaiana, Vacaria e Vale do Sol.