Coronavírus 07/04/2020 09h26

Escolas estaduais iniciam novo período de programação de aulas à distância

Para manter a carga horária anual dos estudantes, os professores utilizam diversos recursos

Com a prorrogação do período de suspensão das aulas presenciais até 30 de abril, para combater a disseminação do coronavírus, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) iniciou nesta segunda-feira, 6, a nova etapa das Aulas Programadas.

O planejamento dos conteúdos e a preparação das dinâmicas pedagógicas são realizados pelos educadores a partir das possibilidades de cada comunidade escolar.

Para manter a carga horária anual dos estudantes, os professores utilizam diversos recursos. Entre os quais, plataformas digitais, rede sociais, aplicativos, blogs, jogos interativos, atividades planejadas, além da distribuição presencial de tarefas e materiais didáticos aos pais ou responsáveis pelos estudantes.

“Somos sabedores que nenhuma metodologia vai substituir o contato presencial entre os professores e os estudantes. Diante do contexto que estamos passando, devido ao coronavírus, percebemos que as Aulas Programadas mantiveram o vínculo dos alunos com a escola e trouxeram, juntamente com isso, a criatividade e envolvimento das famílias”, afirma Roberval Furtado, diretor do Departamento de Educação.

LEIA MAIS
Professores estaduais poderão trabalhar de casa durante suspensão das aulas
Alunos das escolas públicas devem cumprir tarefas à distância

Preparação das escolas estaduais

Conforme a diretora Sandra Weber, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Rui Barbosa, de Ijuí, na 36ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), a instituição de ensino optou em encaminhar fisicamente todas as atividades curriculares e materiais de pesquisa.

Para os alunos do 6º ao 9º ano, conforme a escolha de cada professor, são utilizadas plataformas digitais e aplicativos de redes sociais para tirar as dúvidas dos alunos.

“Nós optamos, desde o início das Aulas Programadas no mês de março, por fazer a entrega das tarefas aos pais ou responsáveis dos estudantes para que ninguém ficasse sem estudar. Para os mais velhos, que já têm mais conhecimento, nós disponibilizamos canais interativos conforme o interesse do educador”, explica.

LEIA TAMBÉM
Alunos estão preocupados com as consequências da paralisação
Escolinhas de Santa Cruz buscam novas formas de interação


O professor de Educação Física Fábio Júnior Marques, da Escola Estadual Paverama, da região da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), diz que, com o auxílio das mídias sociais, os alunos estão elaborando e desenvolvendo as atividades propostas.

“As aulas on-line são teóricas e estão dando super certo. Percebo uma boa aceitação por parte dos estudantes. Creio que vamos passar bem por esta situação e conseguir transmitir os conteúdos necessários”, projeta.

Opinião dos alunos

O aluno do 3° ano do Ensino Médio, Luiz Henrique de Azevedo Vargas, da Escola Estadual Paverama, na região da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), se prepara para fazer o vestibular. Na opinião dele, as Aulas Programadas estão sendo fundamentais para manter o aprendizado.

“Estamos recebendo as atividades pelo WhatsApp e nesta quarentena eu decidi me organizar da seguinte forma: procuro sempre fazer as minhas aulas na parte da manhã. De tarde eu tiro as dúvidas e pesquiso sobre os temas aprendidos. Os professores estão nos dando todo o suporte possível, o que é excelente, tendo em vista que estou quase me formando”, acrescenta.

LEIA TAMBÉM: Educação suspende atendimento em escolas estaduais

O aluno Yuri Ochi, da Escola Cônego Josué Bardin, do município de Vanini, na 7ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), ressalta que, mesmo estando dispensado das aulas presenciais, a aprendizagem está acontecendo em casa.

“O ensino domiciliar está sendo de grande valia para todos nós. É uma experiência muita positiva que, com auxílio dos professores e apoio dos pais, resulta numa motivação ainda maior para se buscar de novos conhecimentos”, afirma.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS