Santa Cruz 23/05/2019 22h19 Atualizado às 10h34

Gian Mota persegue o crescimento no fisiculturismo

Campeão gaúcho na modalidade em 2018, o atleta da equipe Tropa 3B encara mais um desafio neste fim de semana

Oatleta Gian Vargas Mota, um filho de São José do Norte radicado em Santa Cruz do Sul, trilha um caminho de crescimento no fisiculturismo. Há um ano e meio sob orientação do professor Bruno Bernardi Botelho na Academia Forma Fitness, ele sagrou-se campeão gaúcho na categoria bodyshape em 2018 e foi terceiro colocado na bodybuilding no fim da mesma temporada, em Porto Alegre. No mês passado, ficou em segundo lugar no Mr. Pelotas.

Agora Gian, da equipe Tropa 3B, mira os próximos desafios, o primeiro deles neste domingo, novamente em Porto Alegre, no Campeonato de Estreantes. O seguinte será o Gaúcho, nos dias 15 e 16 de junho, também na capital; e em dezembro haverá o Sul-Brasileiro em Balneário Camboriú. O fisiculturista de 24 anos revela que a modalidade envolve o atleta durante um dia inteiro. “É uma vivência intensa nas 24 horas. As refeições são a cada duas ou três horas, são dois treinos por dia, chegando a ter três horas de aeróbico por dia em uma fase de finalização de preparação. Hoje não me vejo não fazendo isso”, comenta.

A manutenção do esporte tem um custo alto, e parcerias são fundamentais para sustentar os treinos e as participações em competições. “Em campeonatos, não ganhamos dinheiro nas vitórias. Tenho alguns profissionais e empresas que me apoiam e tenho o meu trabalho, de onde tiro a renda que consigo investir no fisiculturismo”, explica Gian, que é sushiman e no esporte tem o suporte de Ultramed Suplementos, Pires Barbershop, Nutrifit Marmitas Fitness, Truffat Truffit, Forma Fitness e fisioterapeuta Cássio Zuge.

O preparador Bruno Botelho confia na evolução de Gian e ressalta que a modalidade é bastante seletiva. “A gente costuma dizer que não são as pessoas que escolhem o fisiculturismo, é o fisiculturismo que escolhe as pessoas, assim como não são os atletas que escolhem a categoria, mas é a categoria que os escolhe. Então, não são todas as pessoas que possuem uma genética privilegiada para a prática do fisiculturismo. E ele é um esporte que envolve muito tempo e muitos gastos”, atesta.

Foto: DivulgaçãoFisiculturista compete já há dois anos
Fisiculturista compete já há dois anos