Libertadores 01/10/2019 22h31 Atualizado às 09h31

Grêmio tenta repetir 1984 quando eliminou o Flamengo

Há 35 anos, o Tricolor superou o Flamengo na etapa semifinal do torneio continental e hoje reencontra o time carioca na mesma fase

Grêmio e Flamengo começam a definir nesta quarta-feira, 2, um dos finalistas da Copa Libertadores da América com o primeiro de dois duelos semifinais. O confronto é na arena tricolor, em Porto Alegre, a partir das 21h30. O segundo jogo ocorrerá no dia 23 deste mês, no mesmo horário, no Maracanã, no Rio de Janeiro. O brasileiro que se classificar enfrentará um argentino na partida única da final, novidade da competição, no dia 23 de novembro, um sábado, em Santiago do Chile. River Plate e Boca Juniors se enfrentaram nessa terça-feira, 1º, no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, com a vitória do River em 2 a 0, e voltarão a se encarar no dia 22, na Bombonera.

Tricampeão da América, com os títulos obtidos em 1983, 1995 e 2017, o Grêmio tenta abrir vantagem nesse mata-mata e voltar a despachar o Flamengo nas semifinais do torneio depois de 35 anos. Em 1984, quando o regulamento contava com dois grupos de três times em cada para definir os finalistas, tricolores e rubro-negros enfrentaram-se por três vezes nesse estágio e o time gaúcho, então dirigido pelo técnico Carlos Froner, levou a melhor sobre os flamenguistas.
Campeão da Libertadores no ano anterior, o Grêmio estreou diretamente na fase semifinal e justamente contra o Flamengo, comandado por Mário Lobo Zagallo. E surpreendeu o rival com uma goleada por 5 a 1, em Porto Alegre. Um dos gols do triunfo em 26 de junho de 1984 foi marcado por Renato, hoje treinador gremista.

Aquele era o Grupo B da competição e também contou com o Universidad de Los Andes, da Venezuela, que não somou nenhum ponto em quatro partidas. O Flamengo deu o troco nos gremistas em 9 de julho daquele ano, com uma vitória por 3 a 1, no Maracanã, na rodada derradeira da chave. Os dois brasileiros terminaram iguais na liderança, com seis pontos, e o regulamento previa um jogo extra de desempate, em campo neutro, para definição do finalista.
Esse duelo ocorreu três dias depois no Pacaembu, em São Paulo, e terminou em igualdade de 0 a 0. O resultado assegurou o Grêmio na final pelo melhor saldo de gols naquela etapa do campeonato. Na luta pelo título, os gremistas acabaram superados pelo Independiente, da Argentina.

 

Renato prevê jogo muito ofensivo 
O técnico Renato Portaluppi fechou a maior parte do último treino do Grêmio antes do duelo contra o Flamengo, e liberou a presença da imprensa quando a atividade já estava no tradicional rachão de véspera de jogo. A equipe tem três desfalques: o lateral-direito Leonardo, o zagueiro Pedro Geromel e o meia Jean Pyerre.

Ao projetar o jogo desta quarta, Renato afirmou, em entrevista coletiva, que prevê dois times muito ofensivos. “A virtude do Grêmio é, acima de tudo, o fato de ser um time comprometido com a vitória. Se os gols vão sair eu não sei, mas sei que as oportunidades vão aparecer. São duas equipes que têm os seus cuidados defensivos, mas buscam o gol. E cabe aos jogadores aproveitarem as oportunidades. São as duas equipes do futebol brasileiro que buscam o gol o tempo todo, então tem tudo para ter uma belíssima partida”, apontou.

Renato chamou atenção por dizer que considera o Flamengo favorito a avançar à final e ainda revelar que vai torcer pelo adversário na decisão, se o Grêmio for eliminado nas semifinais. “O futebol brasileiro vai estar bem representado. Vou fazer de tudo para que o Grêmio passe, mas se não passar, vou ser torcedor do Flamengo. Ainda mais contra um time argentino”, enfatizou.

Ao explicar os motivos para apontar o oponente como favorito, o treinador exaltou o grande investimento feito pelo clube carioca, que, para ele, “montou uma seleção”. “O Flamengo é favorito justamente por isso. Se tem para gastar, tem mais é que gastar. E formaram um grupo forte. Lógico que a obrigação de ganhar é do Flamengo, por tudo isso”, raciocinou Renato, para depois exaltar o peso do técnico Jorge Jesus no sucesso atual dos flamenguistas. “Chegou pela competência. Às vezes você põe um treinador que não tem a competência, e o time não chega mesmo com o elenco todo (forte)”, completou.

Willian Arão evita polemizar sobre o favoritismo 
O volante Willian Arão afirmou que vê o Flamengo “preparado em todos os aspectos” para desta vez levar a melhor sobre o Grêmio, diferente de 1984. Ele evitou entrar em polêmica com o rival ao comentar o fato de que Renato Portaluppi considera a equipe carioca favorita nesta noite.

“Não sei se isso é estratégia do Renato, mas, desde que passamos do Inter (nas quartas de final da Libertadores), só tivemos vitórias e um empate. Não estávamos preocupados apenas com esse jogo. Nos preocupamos sempre com o próximo. Sabemos tudo o que envolve, mas temos de chegar e jogar leves, com alegria”, receitou.

Mas, apesar da confiança de Arão, o Flamengo não conquista uma vitória sobre o Grêmio em Porto Alegre há 15 anos. O último triunfo sobre o rival na capital gaúcha aconteceu em 12 de maio de 2004, quando fez 1 a 0 em confronto das quartas de final da Copa do Brasil. De lá para cá, foram dez vitórias gremistas e quatro empates.

LIBERTADORES
Arena – Porto Alegre
Nesta quarta, 21h30

GRÊMIO
Paulo Victor; Rafael Galhardo, David Braz, Kannemann e Bruno Cortez; Matheus Henrique, Michel, Alisson, Luan e Everton; Diego Tardelli Técnico: Renato Portaluppi

FLAMENGO
Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson e Arrascaeta; Everton Ribeiro, Gabriel Barbosa e Bruno Henrique Técnico: Jorge Jesus

Arbitragem: Néstor Pitana (Argentina)

Rádio: Gazeta FM 107.9 e Rio Pardo FM 103.5;
TV: RBS TV e Fox Sports

LEIA MAIS: Grêmio já está concentrado para jogo contra o Flamengo