Futebol 04/02/2020 09h59 Atualizado às 11h00

CBF vai sugerir central única para o VAR no Brasileirão

O primeiro grande teste será no próximo dia 16, quando Flamengo e Athletico se enfrentarão no Mané Garrincha

O segundo ano do VAR no Brasileirão deverá ter uma novidade: em vez de os árbitros de vídeo terem suas cabines instaladas nos próprios estádios, eles deverão fazer as análises a partir de uma central no Rio – algo semelhante ao que acontece na Copa do Mundo. A CBF fará o primeiro grande teste no próximo dia 16, quando Flamengo e Athletico se enfrentarão no Mané Garrincha, em Brasília, pela Supercopa do Brasil, e terão seus lances escrutinados diretamente da sede da entidade.

Para o anúncio oficial ser feito, porém, faltam ainda dois detalhes: o primeiro é o congresso técnico da competição votar pela própria manutenção do VAR – a reunião com os 20 clubes da Série A vai ocorrer ainda este mês. O segundo é a instalação de sistema de fibra ótica que permita a conexão com todos os estádios que sediarão os jogos. A tendência é que ambos se confirmem.

“A vantagem de ter um árbitro de vídeo centralizado é ter uma base apenas. Fica mais fácil para controle e padronização de critérios. O próprio treinamento fica mais fácil. O árbitro (de vídeo) que irá trabalhar no jogo das 6 horas da tarde poderá treinar com o jogo que está acontecendo às 11 horas”, afirmou o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, o gaúcho Leonardo Gaciba. “A gente acredita que será um ganho técnico muito grande”, completou. Segundo ele, implementar a mudança ficaria um pouco mais caro pela necessidade de se alugar o sistema de fibra ótica, mas os valores não foram revelados.