Libertadores 04/02/2020 11h08 Atualizado às 11h39

Inter começa a luta pelo tri no clima tenso de Santiago

Em meio ao retorno de protestos violentos desencadeados pela população chilena, Internacional encara a Universidad esta tarde

Sob clima de tensão pela volta dos protestos em Santiago, o Internacional inicia a caminhada em busca do tricampeonato da Copa Libertadores da América diante da Univesidad de Chile a partir das 18 horas, no Estádio Nacional, na partida de ida do mata-mata válido pela segunda fase preliminar do torneio continental.

Depois de um período de calmaria, os protestos voltaram com força na última semana após um torcedor do Colo-Colo, de 22 anos, morrer atropelado por um caminhão da Polícia nos arredores do Estádio Monumental antes da partida contra o Palestino, pela primeira rodada do Campeonato Chileno.

O caso aconteceu na terçafeira passada e desencadeou uma nova onda de protestos violentos na quarta e quinta. Outro motivo para preocupação: os confrontos têm envolvido integrantes de outras torcidas organizadas de clubes do país, dentre eles a LaU. A Conmebol antecipou o horário da partida para que termine mais cedo.

O clube gaúcho também manifestou sua preocupação à entidade sul-americana antes do confronto. “A diretoria, com certeza, tomou todo o cuidado para garantir que os jogadores tenham segurança. Confio também no trabalho da polícia local. Terá segurança nas arquibancadas e um bom jogo em campo”, afirmou o goleiro Marcelo Lomba

O zagueiro Víctor Cuesta enalteceu o trabalho do técnico Eduardo Coudet, que assumiu o time no mês passado. Em quatro jogos pelo Gauchão, o Inter soma três vitórias e um empate. “Foi pouco tempo de trabalho, mas o importante é que o gru po conseguiu se adaptar rapidamente à ideia do Coudet. Não é fácil já ter um mata-mata tão cedo. Mas jogar Libertadores sempre é bom e queremos estar nessa fase de grupos. O importante foi o que o grupo fez até agora. Isso dá confiança”, disse Cuesta.

A equipe precisa de um bom resultado no Chile para depois decidir no Beira-Rio, na próxima terça-feira, às 19h15. “A gente precisa focar no nosso trabalho. Sabemos da dificuldade que vai ter esse jogo e sabemos que o país passa por uma situação que não é agradável, mas temos de nos preocupar com a gente”, disse Cuesta. Ele reconhece problemas defensivos, mas espera que sejam sanados por Coudet. “Temos coisas para melhorar defensivamente, como a equipe toda. Temos trabalho pela frente. Mas gostamos da ideia. Captamos muito rápido. Dá para ver que o time se sente confortável nesse estilo (de jogo).”

Recuperado de dores no tornozelo direito, o lateral Rodinei trabalhou ontem com os demais companheiros e vai a campo. O treinador ainda tem uma dúvida para o jogo, no meio-campo. Rodrigo Lindoso é o favorito para atuar, mas ele também pode escalar Thiago Galhardo ou Gabriel Boschilia, que estreou no empate sem gols contra o Ypiranga, no último sábado, em Erechim.

LaU goleia antes de receber o Colorado
Antes de enfrentar o Internacional, a Universidad de Chile goleou o Curicó Unido por 5 a 1 no último sábado, pelo campeonato nacional. No entanto, o confronto também foi marcado por atos de violência. Tanto dentro como fora do Estádio Nacional, em Santiago, dezenas de torcedores entraram em confronto e atiraram pedras contra a polícia, que reagiu com bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo e jatos de água.

LEIA TAMBÉM: Classificados, Ypiranga e Inter empatam sem gols em Erechim