Libertadores 19/02/2020 21h26 Atualizado às 23h34

Em jogo fraco, Internacional fica no 0 a 0 com o Tolima

Colorado precisará de vitória no duelo de volta, na próxima quarta-feira, 26, no Beira-Rio, para ir à fase fe grupos

Se a atuação acabou sendo ruim, o resultado foi importante para o Internacional, que empatou em 0 a 0 com o Tolima na noite desta quarta-feira, 19, no Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, na Colômbia. O duelo, válido pela terceira fase preliminar da Copa Libertadores da América, teve pouquíssimas situações de gol para as duas equipes. E segue a sina: nenhum time brasileiro conseguiu superar os donos da casa na competição continental.

Agora, o Colorado jogará por vitória na próxima quarta-feira, 26, às 21h30, no Beira-Rio, para ingressar na fase de grupos. Caso consiga, entra na chave E, que tem o arquirrival Grêmio, América de Cali-COL e Universidad Católica-CHI. Os colombianos avançam com triunfo ou empate com gols. Novo 0 a 0 leva a decisão para os tiros livres da marca do pênalti.

PRIMEIRO TEMPO

Com Uendel na vaga de Moisés, lesionado, e Marcos Guilherme no de D'Alessandro, para dar mais velocidade à equipe, o Internacional partiu o ataque. Aos 3 minutos, Boschilia tabelou com Lindoso e finalizou de fora da área. Montero espalmou para escanteio. Marcos Guilherme cobrou na cabeça de Guerrero, que errou o alvo.

Sem exercer uma pressão na saída de bola, o Tolima esperava o erro do adversário para puxar o contragolpe. O Colorado tinha mais posse e trocava passes na intermediária, tentando infiltrar na área. Aos 22, Guerrero arriscou e Montero segurou firme.

Quando conseguia acelerar, o time colombiano pecava no acabamento das jogadas. A estratégia era chegar pelas laterais, mas a zaga afastou o perigo em duas oportunidades. O Inter controlava as ações, no entanto, não tinha produção ofensiva. Os donos da casa ameaçaram aos 35. Albornoz rolou para Rodríguez, que concluiu perto da trave esquerda de Lomba. Aos 46, Campaz bateu cruzado, obrigando uma boa defesa de Lomba. Apesar da disposição, a etapa inicial terminou com pouca qualidade técnica.

SEGUNDO TEMPO

O Internacional marcava mais presença no campo de ataque. Aos 7 minutos, Guerrero tocou para Marcos Guilherme, que bateu da entrada da área. A bola desviou e saiu a escanteio. O Tolima tentava sair no contragolpe, mas encontrava as mesmas dificuldades da primeira etapa. Os erros na articulação das jogadas apareciam dos dois lados.

Aos 17, Lindoso entregou a bola no pé de Rodriguez, que serviu Campaz. Ele avançou, mas Bruno Fuchs, de carrinho, salvou o Inter. O duelo praticamente não mudou em relação ao primeiro tempo. O time gaúcho rodava a bola sem agressividade e o Tolima não conseguia encaixar os contra-ataques.

Aos 23, o técnico Eduardo Coudet fez a primeira mudança, com D'Alessandro no lugar de Marcos Guilherme. A parte final do confronto e o panorama continuaram do mesmo jeito: a equipe colombiana parecia não ter interesse em se arriscar ao atacar o rival, que por sua vez, administrava o resultado. Aos 40, Campaz cobrou falta e Quiñones cabeceou sem direção. Nos acréscimos, Montero evitou gols de Boschilia e Fuchs.

COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA
3ª FASE PRELIMINAR
JOGO 1
TOLIMA 0 a 0 INTERNACIONAL

Data e horário: Quarta-feira, 19 de fevereiro, 21h30
Local: Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué (Colômbia)
Arbitragem: Roberto Tobar, com Alejandro Molina e Claudio Urrutia (Chile)
Cartões amarelos: Gordillo (Tolima); Víctor Cuesta e Bruno Fuchs (Internacional)

TOLIMA
Montero; Castrillón, Moya, Quiñones e Banguero; Gordillo, Robles, Campaz, Albornoz (Cataño) e Estupiñan (Miranda); Rodriguez (Rojas)
Técnico: Hernan Torres

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Uendel; Musto, Edenilson, Rodrigo Lindoso e Gabriel Boschilia; Marcos Guilherme (D`Alessandro) e Paolo Guerrero
Técnico: Eduardo Coudet