Colorado 26/02/2021 00h54 Atualizado às 01h05

Abel Braga se despede do Inter com o vice brasileiro

Treinador encerrou ciclo no clube e dará lugar a Miguel Ángel Ramírez

O técnico Abel Braga se despediu do Internacional durante a entrevista coletiva após o empate em 0 a 0 com o Corinthians, que resultou no vice-campeonato brasileiro para o Colorado. A direção do Inter deve, agora, partir para receber o espanhol Miguel Ángel Ramírez. Foi o terceiro vice-campeonato brasileiro de Abel Braga no comando do Colorado (1988, 2006 e 2020). Na entrevista após a partida, Abel valorizou o esforço do jogadores, reclamou da arbitragem de Wilton Pereira Sampaio e insinuou que Colorado foi prejudicado pelas decisões da arbitragem nos últimos jogos, enquanto o Flamengo foi beneficiado.

“Me sinto orgulhoso pelo que fiz. Esses jogadores têm que se sentir orgulhosos. Eles resgataram a confiança que o torcedor tinha perdido. A lamentar que não puderam ver de perto”, disse. “Vê o pênalti a favor do Flamengo contra o Grêmio. Incrível. Depois, se não foi pênalti (no toque de braço de Ramiro), poderíamos fazer o gol. Ele tinha que deixar seguir, mas parou logo a jogada. O outro é que a bola que o Cássio soltou, ele marcou antes. Deu falta. Falta de quem? É duro. Houve uma entrega absurda, anormal, fantástica dos jogadores. Uma equipe que jogou muito”, comentou sobre o pênalti desmarcado pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio.

Antes do jogo contra o Corinthians, ele recebeu uma placa do clube em homenagem pelos 340 jogadores completados, em sua sétima passagem pelo Beira-Rio. Abel, que superou Teté e tornou-se o técnico que mais comandou o Inter, disse que seguirá como um torcedor do clube. “Eu saio orgulhoso das pessoas que trabalhei, das coisas que conquistei, e saio dando um até breve, um até logo, não sei. No futebol nunca sabemos o que vai acontecer amanhã”, avaliou.

O técnico aproveitou para comentar sobre a evolução dos jogadores, principalmente de jovens como Bruno Praxedes, João Peglow, Caio Vidal e Yuri Alberto. “Vejo que as possibilidades do grupo são muito boas, justamente por essa mescla entre jovens e experientes. Eles agora terão o Campeonato Gaúcho para crescer, ficar mais rodados, e o Inter ter um ano maravilhoso. Estarei sempre torcendo, independente da onde estiver”, declarou.

O treinador se emocionou quando foi para o vestiário ao final da partida. “Não sei se pela televisão dá para ver a cor dos meus olhos. Foram só lágrimas no vestiário. As lágrimas desses jogadores expressa muito bem aquilo que tentaram conseguir. Um limite que parecia não ter fim. Esse é o maior legado, e esteve presente em todas as grandes conquistas que tive com o Inter”, declarou.

Patrick: “É impossível não sentir essa dor”

O volante Patrick falou logo após o apito final. “É impossível não sentir essa dor. Porque a gente sabe que o torcedor está fazendo, e pelo clube estar lutando em cima e disputando finais. Mais uma vez não conseguimos o objetivo. Temos que sentir essa dor, é inevitável”, lamentou Patrick, em lágrimas.

No Inter desde 2018, Patrick chega ao segundo vice-campeonato com a camisa vermelha. Estava em campo em 2019, quando o Colorado perdeu a Copa do Brasil, em casa, para o Athletico-PR. Na visão do volante, clube evolui e vai em busca de conquistas na próxima temporada que começa em alguns dias.

Patrick lamentou a perda do título no detalhe
(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

“A gente estava esperando por este momento há 41 anos. Independente de quem já estava há tempos e quem não teve chance de ver a gente chegar tão perto assim, a gente entra nesse espírito e todos se tornam uma camisa e um escudo só, o do Inter. Queria muito ter conquistado o resultado. Nos dedicamos. Tirando o jogo do Sport, tivemos uma sequência muito boa de vitórias. Só dependia da gente. Lutamos, tentamos de todas formas, tivemos intervenção do VAR, gols anulados”, comentou. “Eu acredito que o Inter dentro das condições financeiras está no caminho certo, construindo equipes competitivas para brigar por coisas grandes. E que 2021 seja melhor do que 2020”, complementou o camisa 88.


Gabigol marca recado a Thiago Galhardo

O centroavante Gabriel Barbosa alfinetou Thiago Galhardo após a conquista do título. “Galhardo, seu moleque, você tem que respeitar, garoto!”, gritou Gabigol para a câmera do celular, depois de conferir a audiência que passava de 41 mil visualizações simultâneas. “Não foi campeão, não foi artilheiro. Beijo!, o recado está dado!”, complementou.

A provocação é uma resposta a outro vídeo, feito por Thiago Galhardo em janeiro, quando o Inter era líder e o Flamengo não brigava diretamente pelo título. Após a vitória sobre o Grêmio, por 2 a 1, de virada, o atacante colorado fez referência ao “cheirinho de título”, brincadeira do futebol brasileiro da época em que o Rubro-Negro carioca vivia um longo período sem grandes conquistas.


MAIS LIDAS