Colorado 01/04/2021 18h34

Ramírez lamenta erros de finalização em empate de Inter e São José

Para o Gre-Nal, treinador afirmou que vai armar equipe mais competitiva possível para ganhar no sábado

O Inter sofreu para furar a retranca do São José na noite dessa quarta-feira, 31, pela oitava rodada do Gauchão. Mesmo assim, Miguel Ángel Ramírez avaliou que o time conseguiu ter produção para sair com uma vitória do Beira-Rio. De acordo com o espanhol, faltou acertar a finalização para que o resultado fosse diferente do 0 a 0.

“Faltou o gol. Tentamos, criamos, chegamos. Sabíamos que quanto mais o tempo passasse… Se não fizéssemos o primeiro, seria muito difícil ganhar por um gol de diferença. Eles nos deixaram muito pouco espaço. Tentamos chegar e tivemos chances claras. Mas não adianta. Este tipo de partida é complicado. Cada vez fica mais difícil ganhar seguido e tivemos uma sequência de vitórias”, destacou o treinador.

Ramírez ressaltou a visão de jogo do chileno Carlos Palacios. “O passe que mete a Edenilson o deixou cara a cara com o goleiro foi muito bom. Mas está há pouco tempo conosco. Precisa tempo para conhecer os companheiros. Não é fácil. É um garoto em um país distinto. Paciência com ele para que saia bem”, avaliou. O jogador de 20 anos saiu satisfeito após a estreia. “Foi lindo estrear pelo clube. Um pouco difícil pelo jeito que estava a partida, mas me senti muito cômodo. O professor (Miguel Ángel Ramírez) disse para eu rodar. Consigo jogar pelas três posições. Não tenho problema com isso”, declarou Palacios.

Após experimentar 26 jogadores, o técnico do Inter, Miguel Ángel Ramírez, já tem uma base de time definida. Apesar do rodízio, quatro atletas estiveram presentes em todos os cinco jogos disputados até agora sob o comando da nova comissão técnica e despontam como alicerce ofensivo do time do espanhol. O quarteto é formado por Edenilson, Praxedes, Patrick e Yuri Alberto.


Ramírez já faz projeções para o Gre-Nal

O treinador comentou sobre o ambiente em Porto Alegre após um mês de residência na Capital. “Eu não vivo fora da cidade. Estou em Porto Alegre, com as pessoas no dia a dia. Não serei hipócrita. Eu vejo mais camisas coloradas no dia a dia. Não estou polemizando, é a verdade. Isso me encanta. Vou contando os colorados nas ruas, um, outro, outro e um tricolor”, comentou.

O Inter amarga 14 clássicos seguidos sem superar o maior rival como visitante, com seis derrotas e oito empates e direito a duas goleadas (4 a 1 e 5 a 0). O europeu comentou sobre a dificuldade colorada e como se sente. “Não estou ansioso, mas iludido com o jogo. Nunca sonhei que poderia viver como treinador. Me faz muito feliz em ter esta grande responsabilidade. Se os números na Arena são desfavoráveis, isso motiva mais. Temos que ganhar novamente. Sei da importância para a cidade. São coisas que dão conta da beleza que é a rivalidade. Sem o outro, não teria esta paixão. Sei da importância do próximo jogo. Vamos armar a equipe mais competitiva possível para ganhar no sábado”, complementou.


Inter é condenado pelo TJD-RS

O Inter foi condenado a pagar uma multa de R$ 10 mil em julgamento do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS). A punição ocorreu por não impedir a entrada de Miguel Ángel Ramírez ao campo no jogo com o Ypiranga, quando o espanhol não estava liberado para ficar na beira do gramado. No caso do treinador, houve um acordo com a Procuradoria do TJD para uma transação disciplinar. Assim, Ramírez não foi julgado e escapou de uma possível pena de uma a três partidas.


Fortaleza demonstra interesse em Abel Hernández

Em entrevista ao jornal Diário do Nordeste, na tarde da última quarta-feira, 31, o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, confirmou o interesse do clube na contratação de Abel Hernández, do Inter. De acordo com o dirigente, foi feita uma consulta, e o jogador demonstrou disposição de se transferir. Equipes mexicanas também monitoram o atacante. O camisa 99 tem 31 partidas e seis gols com a camisa colorada. Porém, o custo para a manutenção do atleta é considerado elevado, já que supera os R$ 500 mil mensais entre salários e luvas. Com isso, a renovação do vínculo atual, que tem duração até 30 de junho, ainda não foi realizada.