Crise financeira 08/04/2021 11h11

Giovane Zanardo esclarece demissões no Internacional

Colorado fechou 2020 com R$ 90 milhões de prejuízo, o pior déficit da história

O Internacional vai totalizar 60 desligamentos para cortar gastos. De acordo com o CEO Giovane Zanardo, trata-se de uma “medida necessária” dentro do projeto do clube para encerrar 2021 com as contas equilibradas. Em 2020, o Inter fechou com R$ 90 milhões de prejuízo, o pior déficit da história. O Colorado precisa faturar para equilibrar suas finanças. O clube projeta receber R$ 90 milhões em vendas de jogadores em 2021.

Zanardo explica que o clube buscou alternativas antes de decidir pelos cortes, mas que as saídas acabaram sendo inevitáveis para cumprir o projeto de encerrar o ano com superávit de R$ 194 mil. “Um dia extremamente difícil para o clube. Demitir pessoas num cenário difícil como estamos enfrentando. Mas a única forma de entregar esse clube equilibrado ao final de 2021 é passando por medidas duras e difíceis. Para que a gente entregue o clube conforme projetamos, com superávit de R$ 194 mil. É preciso adoção de medidas mais drásticas e mais duras. São medidas que não agradam a ninguém. Tentamos alternativas. Estamos trabalhando em diversas frentes, investimentos, renegociações de contratos, de suprimentos. Tudo isso está sendo trabalhado, mas foi necessária essa medida mais dura”, disse.

A estimativa do clube é de que a economia mensal fique na casa dos R$ 833 mil com os desligamentos e de R$ 10 milhões em um ano. O clube projeta reduzir despesas entre R$ 40 e 55 milhões até dezembro de 2021 para se adequar à queda de receitas. Zanardo elencou outras ações tomadas pela diretoria para enxugar despesas e alcançar esta meta. Além das demissões, o Inter renegociou contratos com fornecedores e cortou alguns projetos de longo prazo. Também reduziu em R$ 2 milhões a folha salarial no futebol.

O executivo foi questionado a respeito de possíveis cortes no grupo de atletas. Zanardo explicou que o processo de enxugamento dos gastos do futebol já está em processo, embora encontra dificuldades por conta da legislação. “É importante que se tenha ciência que existe uma questão de legislação. É diferente quando se tem um contrato firmado com prazo determinado. Se eu tenho um determinado contrato, ele precisa ser cumprido, salvo se houver um acordo ou uma saída para algum clube. É diferente a relação. Estamos atuando, sim, no grupo de atletas. Vários atletas já tiveram suas situações definidas. Estamos sempre em busca da eficiência operacional”, concluiu.


Iarley demonstra gratidão ao Inter após saída do clube

Ídolo campeão da Libertadores e protagonista do título do Mundial em 2006, Iarley foi um dos 60 profissionais demitidos pelo Inter nesta quarta-feira. Em nota oficial, o ex-atacante negou nutrir qualquer ressentimento pela decisão e se disse grato ao clube.

“Estou saindo sem qualquer tipo de ressentimento, pois compreendo a difícil situação que o futebol brasileiro vem enfrentando e não seria diferente no Internacional. Eu tenho um carinho inestimável por este clube e um amor incondicional por todos os colorados e coloradas que sempre estiveram ao meu lado. Minha história está gravada nesta camiseta vermelha. Alcancei o mundo junto com meus companheiros, e ajudei a Nação Colorada a viver momentos que jamais serão esquecidos”, disse.