Rio de Janeiro 09/02/2019 19h28

Dois dos sobreviventes do Flamengo apresentam quadro estável e um permanece grave

Em estado menos grave entre as vítimas da tragédia, garotos fazem tratamento juntos e recebem visita de familiares

O Flamengo soltou uma nota oficial na tarde deste sábado, 9, informando que os atletas Cauan Emanuel e Francisco Dyogo, sobreviventes da tragédia de sexta-feira, seguem em situação estável no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca. Segundo o clube, os meninos passaram a noite sem complicações e se alimentam normalmente por via oral.

Os dois atletas permanecem na Unidade de Tratamento Intensivo, recebendo antibióticos venosos e suporte por máscara de oxigênio O chefe do Departamento Médico do Flamengo, Márcio Tannure, e o clínico cardiologista do Hospital Vitória, responsável pela internação dos atletas, Fernando Bassan, acompanham a evolução do quadro, segundo o clube.

LEIA MAIS

Já o quadro do atleta Jhonata Ventura inspira maiores cuidados. Ele segue internado no hospital municipal Pedro II em estado grave. O clube informou que o jovem passou as últimas 24 horas sem intercorrências e alterações laboratoriais significativas.

"Jhonata está estável hemodinamicamente e sedado, com melhora dos parâmetros respiratórios, e permanece no CTI. Os médicos do Flamengo, Luiz Baldi e Gustavo Dutra, acompanham a situação de Jhonata, que está sob os cuidados da equipe especializada do Centro de Tratamentos de Queimados", informou. 

Cauan, Francisco Dyogo e Jhonata são os três sobreviventes da tragédia no CT do Flamengo. Nas primeiras horas da última sexta-feira, um incêndio tomou conta do alojamento das categorias de base do Flamengo no Ninho do Urubu e matou dez jogadores entre 14 e 17 anos.


Secretaria da Fazenda diz que Flamengo pagou 10 de 31 multas por irregularidades em CT

A Secretaria Municipal de Fazenda do Rio informou neste sábado que o Flamengo pagou 10 das 31 multas aplicadas pelo órgão por irregularidades no Centro de Treinamento do Ninho do Urubu, em Vargem Grande, onde aconteceu o incêndio que matou dez adolescentes na sexta-feira.

Em nota, a secretaria explicou que, por questões de sigilo fiscal, não pode divulgar os valores das multas. A primeira foi aplicada em 20 de outubro de 2017 e a última aconteceu em 14 de dezembro do ano passado.

"A Secretaria Municipal de Fazenda atuou de forma diligente e tentou fechar o CT ao longo de 14 meses, mas as determinações dos fiscais da Fazenda foram ignoradas", diz a nota.

Nas primeiras horas da última sexta-feira, um incêndio tomou conta do alojamento das categorias de base do Flamengo no Ninho do Urubu. Dez jogadores entre 14 e 17 anos morreram e outras três pessoas ficaram feridas. O presidente Rodolfo Landim classificou o ocorrido como a maior tragédia da história do clube.