Não pegou 16/07/2018 01h30 Atualizado às 07h56

CNH Digital tem adesão baixa entre os motoristas; tire suas dúvidas

Os estados onde há um maior número dos documentos são Goiás e Rio Grande do Sul

Esquecer a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em casa não é mais uma preocupação para o motorista George Abbas, de 36 anos, do Rio. Ele fez a versão digital do documento há cerca de um mês. “Facilita a vida. Se perder o celular, tenho a de papel. Se perder a de papel, tenho a digital”, diz.

LEIA MAIS: Saiba como ter a CNH digital e tire dúvidas sobre a novidade

Mas Abbas é uma exceção dentro do cenário nacional, no qual apenas 0,36% dos motoristas têm a CNH digital, o que corresponde a 247,6 mil pessoas. A nova versão do documento passou a ser emitida progressivamente desde outubro. E desde o começo do mês, é disponibilizada em todos os Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) do País.

Dentre as 27 unidades federativas do País, São Paulo é a que mais emitiu CNHs digitais, com um total de 49.955 unidades. No Estado, a emissão começou em março. Porém, proporcionalmente, São Paulo fica em 21º no quadro nacional, pois a cobertura é de apenas 0,22% do total de motoristas. Os primeiros colocados são Goiás e Rio Grande do Sul, nos quais, respectivamente, 1,13% e 1,03% das CNHs têm versão digital.

Um dos motivos para a baixa adesão é que o documento só pode ser emitido à distância se o motorista tiver uma CNH com QR Code e também um certificado digital, que é pago. O custo desse documento costuma ser de R$ 100,00. Quem ainda tem a versão antiga da habilitação deve pedir uma segunda via impressa, para ter uma CNH com o QR Code (não é preciso esperar a CNH vencer para solicitar a segunda via do documento). Depois, é preciso fazer um cadastro no site do Detran e ir a uma unidade do departamento de trânsito para confirmar os dados. 

Saiba mais

Como ter a CNH digital?
O primeiro passo é baixar o aplicativo em seu celular. A CNH-e está disponível na Google Play Store e na App Store. Mas, somente as pessoas que possuem a última versão da CNH impressa conseguem acessar o documento. Isso porque a nova versão, disponível a partir de 2 de maio de 2017, possui um QR Code (código escaneável em aparelhos eletrônicos) na parte interna.

Antes de baixar o aplicativo, o usuário deve ter um número de celular e um endereço de e-mail cadastrados na base do Denatran. Para isso, basta realizar um cadastro no Portal de Serviços do Denatran. Depois, é só se cadastrar no aplicativo.

E se eu não tenho a última versão do documento?
Caso a sua CNH tenha sido emitida antes de 2 de maio de 2017, ela não possui um QR Code. Ou seja, é necessário ir até um CFC e solicitar uma segunda via do documento. Atualize seu número de celular e endereço de e-mail. Então, cadastre seus dados no Denatran e depois acesse o aplicativo para efetuar o seu cadastro.

Quais são as diferenças entre a CNH impressa e a digital?
A única diferença entre as versões é que uma é documento físico e o outro é digital. As duas possuem o mesmo valor jurídico. A CNH digital garante praticidade, segurança e comodidade do condutor. Mas, o motorista deve ficar atento ao próprio celular. Se ele for pego em uma blitz, por exemplo, e estiver sem bateria e sem a versão impressa do documento, estará sem a CNH. Ele pode dirigir apenas com a CNH-e, mas deve ficar atento ao funcionamento do smartphone. 

O que acontece nesses casos?
Se o condutor for encontrado sem a CNH impressa e sem a CNH-e, que pode ser utilizada sozinha, ele será multado. O condutor será autuado com base no artigo 232 (conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatório), uma infração leve que prevê multa de R$ 88,38, três pontos na CNH e retenção do veículo até a apresentação do documento. 

A validade da CNH-e será diferente da validade da CNH impressa?
A CNH-e tem a mesma validade do documento de habilitação impresso.

O documento de habilitação impresso deixará de valer?
Não. A CNH poderá ser utilizada/apresentada tanto na forma eletrônica quanto na forma impressa.

É obrigatório ter CNH-e?
Não. É opcional. O condutor pode solicitar quando desejar. Quem não possuir a CNH-e pode seguir utilizando normalmente o documento de habilitação impresso.

Quem está no período permissionário (habilitado há menos de um ano e que ainda não emitiu a CNH Definitiva) pode fazer a CNH-e?
Sim.

É necessário seguir emitindo o documento físico de habilitação?
Sim. Por enquanto, segue obrigatória a emissão da CNH na versão impressa.

Quanto custará a CNH-e?
Considerando que atualmente é obrigatório ter a CNH impressa para poder gerar a CNH-e, não haverá custo adicional, ou seja o custo é o do pagamento para emissão da CNH impressa.