Tradicionalismo 10/01/2019 23h13 Atualizado às 08h53

MTG realiza congresso para definir nova diretoria

Durante evento em São Borja, atual presidente, Nairo Callegaro, concorre com primeira mulher a disputar a presidência

O Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) realiza o 67º Congresso Tradicionalista neste fim de semana, no CTG Tropilha Crioula, em São Borja, a partir da noite de desta sexta-feira. Pela primeira vez na história, uma mulher disputará a eleição para a presidência da entidade. Elenir Winck, de Panambi, é professora e atual vice-presidente administrativa do MTG. Ela irá concorrer com o atual presidente, Nairo Callegaro, que busca o quarto mandato.

Os delegados-eleitores de cada entidade filiada, em dia com suas obrigações, têm direito a votar. Elas terão acesso ao credenciamento, com dois representantes para entidade de participação plena e um para participação parcial. O mandato no comando do MTG é de um ano.

O congresso busca estimular o debate sobre as diretrizes, rumos e princípios do movimento. Haverá a análise de propostas, como o tema anual. Neste ano, sete foram inscritas. Uma delas é “Todo gaúcho vem do campo – o homem do campo como substância basilar da sociedade gaúcha”, da 5ª Região Tradicionalista, de autoria dos irmãos Micael e Muriel Machado Lopes, de Cachoeira do Sul.

O que cada candidato propõe

Nairo Callegaro afirma que encarou o desafio de desconstruir alguns pontos, tirar pessoas da zona de conforto e construir um Movimento Tradicionalista Gaúcho aberto para toda a sociedade. Ele pretende prosseguir com as mudanças, como a consolidação das plataformas de comunicação. Uma das metas é fazer as eleições regionalizadas, ou seja, que aconteçam de forma simultânea nas 30 Regiões Tradicionalistas.


Elenir Winck quer dar maior atenção às entidades tradicionalistas. Também pretende fazer parcerias com o setor educacional, para realizar um trabalho especial com crianças e jovens. A candidata acredita que, para um maior engajamento, o tradicionalismo precisa manter as características, mas considerar as mudanças que estão em desenvolvimento na sociedade.