Comemoração 14/02/2019 11h15

Você sabe a origem do Valentine’s Day?

Professora dos cursos de Inglês do Senac Santa Cruz do Sul conta a história do Dia dos Namorados nos EUA e países da Europa

Diversos lugares do mundo inteiro celebram no dia 14 de fevereiro o Valentine’s Day (Dia de São Valentim). Comemorando a data, usuários das mais diversas redes sociais já evidenciam a hashtag #HappyValentine’sDay. “Entretanto, a origem da data nem sempre é conhecida e é muito anterior ao Dia dos Namorados no Brasil, começando a ser celebrada no século V”, explica a professora dos cursos de Inglês do Senac Santa Cruz do Sul,  Daniele Horta.

Entre as mais diversas explicações para a razão da comemoração, a mais famosa é a de que São Valentim era um padre de Roma que foi condenado à pena de morte no século III. O motivo: o imperador Claudio II baniu os casamentos naquele século por acreditar que homens casados tornavam-se soldados piores. Valentim, porém, defendeu que o casamento era parte do plano de Deus e dava sentido ao mundo. Por isso, ele passou a quebrar a lei e organizar cerimônias em segredo. Quando o imperador descobriu, ele foi preso e sentenciado à morte no ano 270.

Durante o período em que estava na prisão, Valentim se apaixonou pela filha de um carcereiro. No dia de sua morte, enviou uma carta de amor à moça assinando: "do seu Valentim" - o que originou os envios de cartões para a pessoa amada no 14 de fevereiro. Apenas dois séculos depois que a data passou a ser efetivamente comemorada, quando o papa Gelásio instituiu o Dia de São Valentim, classificando-o como símbolo dos namorados. “A data é bastante celebrada até hoje nos Estados Unidos e na Europa. Nesse dia, os namorados trocam presentes e mandam cartões (Valentine cards ou simplesmente Valentines) para seus parceiros(as)”, conta Daniele.

No Brasil, a data virou o Dia dos Namorados, porém, é comemorada no dia 12 de junho desde 1948. Ela coincide com a véspera do Dia de Santo Antônio, conhecido como santo casementeiro, mas a origem disso tudo tem a ver com a ideia do publicitário João Doria, pai do atual governador de São Paulo. Inspirado pelo sucesso comercial do Dia das Mães, Doria instituiu mais uma data para trocar presentes no ano. O mês de julho foi escolhido porque era o mês de baixas nas vendas.