COVID-19 11/02/2020 23h09

Exames descartam coronavírus em brasileiros repatriados da China

OMS afirmou nesta terça que uma vacina contra a doença pode estar pronta em um ano e meio. Número de mortos passou de mil

Exames de sangue feitos nos 58 brasileiros que estão em quarentena em Anápolis (GO) descartaram em todos a presença do coronavírus. Os 34 brasileiros que viviam na China e os 24 tripulantes e profissionais de saúde e de comunicação que acompanharam a viagem de retorno dos repatriados tiveram amostras coletadas no domingo, 9, dia em que chegaram ao Brasil, e os exames foram concluídos nesta terça-feira, 11.

Em entrevista coletiva nesta tarde, o ministério explicou que foi feito o exame RT-PCR, específico para o coronavírus que provoca a epidemia na China e que identifica a presença do RNA viral. Em todos os 58, o resultado foi negativo.

LEIA MAIS: Brasileiros resgatados em Wuhan chegam sem sintomas do coronavírus

O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, disse que a pasta já emitiu uma recomendação ao Ministério da Defesa, que coordena a Operação Regresso, mas não quis antecipá-la à imprensa. O site da pasta, porém, logo após a coletiva, chegou a publicar que os 24 profissionais serão liberados da quarentena, mas continuarão sendo monitorados.

Ao ser questionada pelo jornal O Estado de S. Paulo se confirmava a informação, no entanto, a assessoria de imprensa do ministério tirou a frase do ar, mantendo somente que todas as pessoas em quarentena estão sem sintomas e infecção.

Há 42.708 casos de coronavírus confirmados na China, com 1.017 mortes, diz OMS
A Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou nesta terça-feira, 11, o número de pessoas infectadas pelo coronavírus na China para 42.708, com 1.017 mortes. No resto do mundo, são 393 casos em 24 países e uma morte, nas Filipinas. Em coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça, representantes da entidade informaram que, entre estas terça e quarta-feira, mais de 400 cientistas estão reunidos na cidade para avaliar a situação da doença.

O diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou que a comunidade internacional precisa agir com urgência para evitar que a epidemia tenha impactos globais. “Um vírus tem o potencial de ter mais consequências ruins do que um ataque terrorista”, afirmou Ghebreyesus.

LEIA MAIS: Secretaria da Saúde se mobiliza para barrar o coronavírus

Nova vacina para coronavírus pode estar pronta em 18 meses, prevê OMS
Ghebreyesus ainda disse que uma vacina contra o coronavírus pode ficar pronta em 18 meses, mas não deu detalhes sobre pesquisas clínicas. “Precisamos fazer tudo o que podemos com as armas disponíveis hoje”, afirmou. Durante a coletiva, representantes da entidade revelaram um novo nome para a doença decorrente do vírus: covid-19. “A nomeação previne o uso de outros nomes que podem ser imprecisos ou estigmatizantes. Também nos oferece um formato padronizado a ser usado em futuros surtos de coronavírus”, explicou o diretor-geral da OMS.

LEIA MAIS: Médicos usam remédios contra HIV e ebola para tratar novo coronavírus

American Airlines estende suspensão de voos para China e Hong Kong até 23 de abril
A companhia de aviação American Airlines publicou em seu site um comunicado informando que está estendendo a suspensão de voos da empresa para a China e Hong Kong até os dias 23 e 24 de abril, a depender da rota.

No dia 29 de janeiro, a empresa já havia suspendido suas rotas para China e Hong Kong entre os dias 9 de fevereiro e 27 de março como forma de evitar espalhar o coronavírus, que tem a cidade chinesa de Wuhan como epicentro. Agora, amplia a suspensão em quase um mês. “Nós vamos continuar a avaliar esta agenda e faremos quaisquer ajustes que se façam necessários”, informa a companhia americana.

LEIA MAIS: “Precisamos tomar precauções”, diz Westphalen sobre coronavírus