BOA NOTÍCIA 13/03/2020 21h13

Frente fria deve trazer chuvas ao Estado a partir de domingo

Pancadas devem ser registradas em todas as regiões, pelo menos até quarta-feira

Segundo boletim divulgado nesta sexta-feira, 13, pela Secretaria de Agricultura do Estado, uma frente fria deve chegar ao Rio Grande do Sul no domingo, 15, e causar pancadas de chuva em todas as regiões. De forma geral, são chuvas de baixo volume, porém não se descarta a ocorrência de temporais isolados.

Na segunda, 16, a nebulosidade segue predominando, com pancadas isoladas de chuva na maioria das regiões. Entre a terça e a quarta-feira, o deslocamento de uma área de baixa pressão favorecerá a ocorrência de chuva em todo o Estado, com possibilidade de temporais isolados, associados a fortes rajadas de vento.

Os volumes de precipitação deverão ser inferiores a 20 milímetros nas Missões, Vale do Uruguai, Faixa Central, Região Metropolitana e no Litoral Norte. Nas demais regiões, os valores deverão variar entre 20 e 35 milímetros, porém em algumas localidades da fronteira com o Uruguai os totais poderão superar 40 milímetros.

LEIA MAIS: Problema se agrava cada vez mais: estiagem provoca racionamento de água na região

Estiagem
Segundo relatório produzido por Secretaria Estadual da Agricultura, Emater e Irga, as médias de chuva no estado no mês de dezembro oscilaram entre 30 e 60 milímetros. Apenas na Fronteira Oeste, Missões, Alto Vale do Uruguai e no Planalto, os valores foram mais significativos e variaram entre 100 e 150 milímetros.

O mês de janeiro apresentou o retorno de chuvas expressivas. No entanto, a distribuição permaneceu irregular, com ocorrência de altos volumes em curtos períodos. Em praticamente todo o Rio Grande do Sul a precipitação acumulada mensal superou 120 milímetros e, em alguns municípios da Fronteira Oeste, Missões, Planalto, Região Central, Serra do Nordeste e nos Campos de Cima da Serra, os valores excederam 200 milímetros.

Em fevereiro, ocorreram curtos eventos de chuva, intercalados com períodos secos mais extensos, agravando a condição de estiagem. Em comparação com as séries climáticas, o verão 2019/20 foi seco na maior parte dos municípios.

LEIA MAIS: Lago Dourado já perdeu cerca de 35% do volume de água