CORONAVÍRUS 25/03/2020 16h55

Como manter as contas em dia durante a paralisação

Especialistas dão dicas para enfrentar momento de instabilidade causado pela pandemia de Covid-19

Mais do que driblar a contaminação, preservar a saúde financeira será o grande desafio da maioria das pessoas em meio à pandemia do coronavírus. Com o fechamento do comércio, a suspensão das atividades nas indústrias e as restrições de circulação, muitas famílias terão suas rendas comprometidas a partir dos próximos dias, em especial autônomos e quem trabalha na informalidade.

A Gazeta do Sul ouviu o economista Alfredo Meneghetti Neto e o educador financeiro Francisco Teloeken, da DSOP Educação Financeira, para levantar dicas de como enfrentar o momento de instabilidade. Dentre as orientações estão controlar as despesas, renegociar compromissos já assumidos e buscar alternativas provisórias de renda.

CONFIRA AS DICAS

Cuide as despesas
Com o isolamento, algumas despesas correntes, como as relacionadas a deslocamentos e refeições fora de casa, tendem a cair. Mas outros gastos, como energia elétrica e água, podem aumentar. É preciso cuidar para que uma coisa compense a outra.

Endividar-se ou não?
Como ninguém sabe até onde vai a crise, o ideal é evitar qualquer novo endividamento. Se não for possível, a recomendação é evitar o cheque especial, porque o custo é muito alto. O ideal é procurar uma agência bancária e solicitar um crédito pessoal. Outras alternativas mais em conta são empréstimo por penhora de joias (realizado apenas na Caixa Econômica Federal) e crédito consignado. Em relação a dívidas já contraídas, o melhor é tentar renegociar com os credores. Além disso, vários prazos para pagamentos de dívidas com órgãos públicos estão sendo flexibilizados ou suspensos, então é bom informar-se a respeito.

Atrasar contas?
Se tiver que atrasar o pagamento de contas, o melhor é evitar as que podem gerar consequências como multas pesadas ou cortes de serviços – embora o Estado já tenha anunciado que não haverá cortes de luz e energia. É mais seguro, no entanto, atrasar o pagamento de impostos ou contas de internet, por exemplo.

LEIA MAIS: Luz não será cortada por falta de pagamento, diz Leite

Alternativas de renda
Para quem quer buscar uma fonte provisória de renda, as melhores opções no momento envolvem prestação de serviços pela internet. Com base na sua qualificação, é possível oferecer consultas personalizadas online ou vender materiais, como vídeos. Conteúdos como aulas de ginástica, dança e solução de problemas domésticos estão em alta. Outro possível nicho é no setor de alimentação: como as pessoas estão mais em casa, os pedidos de entregas em domicílio dispararam.

LEIA MAIS: Isolamento social: como ser produtivo em home office?

Empresários e autônomos
Para empresários que suspenderam suas operações, o caminho é entrar em contato com fornecedores e clientes para renegociar os compromissos assumidos. Para autônomos, a recomendação é buscar formas de oferecer seus serviços de forma remota.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS