PANDEMIA 04/04/2020 00h41

Cadastro para auxílio de R$ 600 poderá ser feito por app da Caixa a partir de terça

A partir da inclusão de dados, programa vai avaliar se a pessoa tem direito à renda emergencial

A Caixa Econômica Federal vai lançar na próxima terça-feira, 7, um aplicativo por meio do qual os brasileiros vão poder se cadastrar para receber o auxílio emergencial criado pelo governo federal, para enfrentamento da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. O banco também lançará uma página na internet e uma central de atendimento telefônico para a solução de dúvidas e a realização do cadastro.

O próprio aplicativo avaliará se o trabalhador cumpre os cerca de dez requisitos exigidos pela lei para o recebimento da renda básica. Quem não tem conta em bancos poderá retirar o benefício em casas lotéricas. O benefício também será depositado em contas poupança digitais, autorizadas recentemente pelo Conselho Monetário Nacional, e poderá ser transferido para qualquer conta bancária sem custos. Um outro aplicativo deve ser criado para este pagamento.

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o calendário de pagamentos será anunciado na próxima semana, depois de o banco conhecer o tamanho da população apta a receber a renda básica emergencial. Na segunda-feira, 6, a Caixa Econômica detalhará o funcionamento dos dois aplicativos.

LEIA MAIS: Coronavírus também gera epidemia de golpes

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, informou que só precisarão se inscrever no aplicativo microempreendedores individuais (MEI), trabalhadores que contribuem com a Previdência Social como autônomos e trabalhadores informais que não estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Caso o trabalhador esteja inscrito no cadastro único, o aplicativo avisará no momento em que ele digitar o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

Beneficiários do Programa Bolsa Família não precisarão baixar o aplicativo. Segundo Onyx, eles já estão inscritos na base de dados e poderão, entre os dias 16 e 30, escolher se receberão o Bolsa Família ou a renda básica emergencial, optando pelo valor mais vantajoso.

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS


MAIS LIDAS