DISTANCIAMENTO CONTROLADO 21/05/2020 19h48 Atualizado às 21h51

Cálculo da bandeira passará a considerar apenas número de pacientes internados

Para evitar distorções, governo do Rio Grande do Sul vai apurar situação da pandemia nas regiões a partir do dado sobre internações

O governador Eduardo Leite anunciou nessa quarta-feira, 20, uma mudança no cálculo do risco relacionado à Covid-19 no Rio Grande do Sul. A partir do dia 30 de maio, o modelo de distanciamento controlado, que se baseia em dados para avaliar a gravidade da pandemia em 20 regiões do Estado, vai deixar de considerar o número de pessoas com confirmação da doença. O dado levado em conta para representar o avanço do novo coronavírus será o de pacientes com confirmação de Covid-19 internados.

Segundo o governo estadual, a mudança será feita porque os dados de hospitalização são mais estáveis. O objetivo é corrigir possíveis distorções, que poderiam “penalizar” regiões que aplicam mais testes e desestimular a testagem da população em algum local – o que vai contra a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Além disso, os municípios são obrigados a notificar o Estado sobre a internação de pacientes infectados pelo novo coronavírus – o que não ocorre com os testes de pessoas não internadas.

LEIA TAMBÉM: Região de Santa Cruz mantém bandeira laranja

“Estamos analisando constantemente como o entendimento do modelo se dá nos municípios e o quanto esses indicadores interferem nos resultados finais para termos o resultado mais fiel ao que efetivamente está acontecendo no Rio Grande do Sul e para termos um modelo que funcione e tenha eficácia”, esclareceu Eduardo Leite, sobre a alteração no modelo.

Portanto, na atualização das bandeiras que ocorre neste sábado, 23, ainda será considerado o dado de pessoas com teste laboratorial positivo para a Covid-19. A partir da revisão do dia 30, o modelo passa a considerar apenas os infectados internados.

LEIA TAMBÉM: Taxa de ocupação de vagas em UTIs é baixa no Vale do Rio Pardo

Com informações do Governo do Estado do Rio Grande do Sul

LEIA MAIS: ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O CORONAVÍRUS