Memória 14/10/2020 14h14

A Gazeta esteve lá: na terra do mamão, no Espírito Santo

Fruta garante a renda de milhares de pessoas em várias regiões do Brasil

O agronegócio brasileiro é formado por dezenas de cadeias produtivas, que movimentam o Produto Interno Bruto (PIB) e alavancam as exportações. Individualmente, asseguram as bases do desenvolvimento regional. Assim, em setores específicos dos grãos, da fruticultura e da horticultura, na produção de carnes e de lácteos, localidades e estados se firmam sobre uma atividade agrícola ou pecuária. Na fruticultura, cada uma das espécies constitui um cluster próprio, com setores de apoio, no campo e na cidade. É o caso de uma das frutas mais apreciadas pelos brasileiros: o mamão. Sozinho, garante a renda de milhares de pessoas em várias regiões, tendo o Espírito Santo como grande polo.

Mamão é uma das frutas mais produzidas no País

Se inúmeras outras cidades tornaram-se referência em virtude do melão, da manga, da uva, do caju, da laranja ou do limão, entre tantos outros, Linhares, no norte do Espírito Santo, a cerca de 130 quilômetros de Vitória, capital capixaba, ou a duas horas e meia dela, é a terra do mamão. Além de concentrar no entorno as imensas plantações e os packinghouses, onde as frutas são preparadas e embaladas para seguirem rumo aos mercados, a cidade sedia a Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Papaya (Brapex), fundada em 2001 para congregar os empresários, dos mais variados portes, que apostam nessa fruta. E a Gazeta, por intermédio da Editora Gazeta, na elaboração do Anuário Brasileiro da Fruticultura, ao longo das últimas duas décadas tornou-se porta-voz da competência e dos interesses desse segmento.

LEIA TAMBÉM: A Gazeta esteve lá: no centro geodésico da América do Sul

A cada ano, jornalistas e fotógrafos da Editora Gazeta visitam as áreas de produção, entrevistam lideranças, empresários, produtores e especialistas na pesquisa. Desse modo, um amplo e variado banco de imagens foi montado ao longo dos anos, registrando diferentes etapas do processo produtivo. Ao mesmo tempo, representações da Gazeta participaram dos grandes eventos nacionais e internacionais, divulgando o potencial do mamão brasileiro e interagindo com empresários e especialistas do mundo todo. Além do Espírito Santo, o mamão ganha espaços cada vez mais expressivos no Vale do São Francisco e no Nordeste, com produção muito relevante no polo de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Packing-house da fruta a ser enviada ao mercado

Mas é mesmo Linhares quem concentra as atenções, por agrupar o grande ambiente de produção de mamão de qualidade, a fruta que pode ser encontrada nos supermercados e hipermercados de todo o País. Por suas contribuições à saúde, como alimento nutritivo, e por seu sabor inconfundível o mamão é empregado, além do consumo in natura, em um leque cada vez maior e mais criativo de produtos processados e industrializados. E, assim, a região capixaba pode investir cada vez mais em incremento de produção e infraestrutura. Linhares atualmente conta com cerca de 160 mil habitantes, e boa parcela dessa população tem sua subsistência apoiada diretamente sobre essa única fruta: o mamão. E a Gazeta, ao longo dos anos, esteve lá para contar essa história.

Saudável e nutritiva, é consumida no mundo todo

LEIA TAMBÉM: A Gazeta esteve lá: no maior polo de produção de citros