Educação 09/12/2020 20h43

Ensino privado terá reajuste médio de 3,5% em 2021

De acordo com o Sinepe, as instituições não repassarão os 7,1% referentes ao aumento de custos médios previstos para o próximo ano

Uma pesquisa do Sindicato do Ensino Privado (Sinepe/RS) junto às escolas de Educação Básica aponta que o reajuste médio da mensalidade será de 3,5% em 2021. Esse percentual indica que não haverá o repasse do aumento de custos médios previstos para o próximo ano, que é de 7,1%.

O presidente do Sinepe/RS, Bruno Eizerik, afirmou que o ano de 2020 foi atípico em função da pandemia. “Grande parte das escolas concedeu algum tipo de desconto para seus alunos e entende que, como a situação ainda não está normalizada, o repasse dos custos para o próximo ano não será integral. Em média, o reajuste das mensalidades será de 50% em relação ao aumento dos custos previstos.”

LEIA TAMBÉM: Com casos de Covid-19 na rede pública, professores pedem suspensão das aulas presenciais


Para Eizerik, cada escola vive uma realidade diferente e as mantenedoras agem com cautela quando se trata de reajustar as mensalidades. “Não deve haver grandes investimentos para o próximo ano, e será pouco provável a concessão de descontos”, afirma. As escolas informaram que o percentual médio de reajuste nos custos em 2020 foi de 8,5%, maior do que a previsão orçamentária.

“O aumento médio das mensalidades em 2020 foi de 7%. O aumento de custos na ordem de 8,5% neste ano significa que as escolas tiveram de cortar investimentos para terminar o ano sem prejuízo”, frisou Eizerik. O que mais influenciou na elevação foram os investimentos não previstos em tecnologia e as adaptações necessárias para o ensino remoto.

LEIA TAMBÉM: MEC muda data de retorno das aulas presenciais nas universidades federais