Investimento 06/04/2021 10h16

Estado pretende criar 30 centros regionais para atendimento às pessoas com autismo

TEAcolhe também deve colocar em funcionamento sete centros macrorregionais

O governo estadual aproveitou a passagem, na última sexta-feira, do Dia Mundial de Conscientização do Autismo para lançar, na segunda-feira, 5, a Política de Atendimento Integrado à Pessoa com Transtornos do Espectro Autista (TEA), também chamada de programa TEAcolhe. A ideia é criar 30 Centros Regionais de Referência (CRR) e sete Centros Macrorregionais de Referência (CMR), com o objetivo de organizar e fortalecer as redes municipais de saúde, de educação e de assistência social no atendimento às pessoas com autismo e suas famílias.

Cada Centro Regional de Referência em TEA será destinado ao atendimento dos casos severos, graves e refratários da região, definidos por protocolo previamente estabelecido. As ações dos centros de referência em TEA poderão ser executadas, prioritariamente, por serviços públicos já existentes ou, de forma complementar, por instituições privadas com expertise no atendimento às pessoas com autismo e suas famílias, sempre norteadas pelos princípios e diretrizes do SUS, do Sistema Único de Assistência Social e do Sistema Nacional de Educação.

O governo do Estado investirá R$ 1,4 milhão na implantação dos sete centros macrorregionais. Isso envolve a compra de equipamentos e possíveis reformas na estrutura dos centros. Também disponibilizará R$ 350 mil mensais para o custeio dos sete centros. Para os 30 centros regionais, o valor disponibilizado será de R$ 600 mil mensais. O investimento total será de R$ 950 mil mensais.

LEIA TAMBÉM: Os desafios do diagnóstico de autismo em adultos