Grêmio 08/07/2019 22h57 Atualizado às 13h59

Tricolor está preparado para o assédio sobre Everton

O melhor jogador da final contra o Peru foi artilheiro da Copa América

Campeão da Copa América com a seleção brasileira, melhor jogador da final contra o Peru, domingo passado, no Rio, e artilheiro da competição realizada no País, o atacante Everton é a bola da vez no mercado do futebol mundial. Ele vai se reapresentar nesta terça-feira ao Grêmio e treina à tarde, no último trabalho antes do primeiro jogo contra o Bahia pelas quartas de final da Copa do Brasil, que será nesta quarta-feira, às 19h15, na Arena. A direção do Tricolor mostra-se preparada para enfrentar o assédio de clubes europeus sobre o Cebolinha.

Na noite dessa segunda, em um evento em Igrejinha, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, sem mencionar o nome de Everton, admitiu que o clube pode fechar um grande negócio em breve. “Meu desejo é que (Everton) fique. Mas eu nunca vivi um momento como esse, porque a torcida do Grêmio já está acostumada com a ideia de vendê-lo. Sabe qual é o grande debate desse negócio? Quanto o Grêmio vai ganhar. Eu vou botar o dedo na moleira do comprador e vou fazer o maior negócio do Grêmio de todos os tempos”, avisou o presidente tricolor.

Mais cedo, durante a tarde dessa segunda-feira, publicações europeias dedicadas ao mercado da bola voltaram a citar uma possível oferta do Milan, da Itália, por Everton. O empresário Gilmar Veloz seria o encarregado de apresentar a contraproposta do Grêmio ao clube rossonero. A multa rescisória do contrato do jogador com o Tricolor está estipulada em 80 milhões de euros (341,3 milhões), e o Milan teria uma proposta de 45 milhões de euros (R$ 192 milhões).