Futsal 09/12/2018 14h30

Na prorrogação, Pato derrota o Atlântico e fica com o título da LNF

Galo levou a melhor no tempo normal, mas deixou a taça inédita escapar com gol no fim do tempo extra

Não deu para o Atlântico de Erechim. Mesmo contando com o apoio de sua torcida, que lotou o Caldeirão do Galo, o time gaúcho bateu na trave na tentativa de conquistar o título inédito da Liga Nacional (LNF) e viu o Pato Futsal fazer a festa na sua casa na tarde deste domingo, 9, depois de um tempo normal quente e de uma prorrogação cardíaca.

A conquista do Pato é histórica, pois é a primeira vez que um time do Paraná se sagra campeão da Liga Nacional. Desde a sua criação, em 1996, a competição havia tido vencedores apenas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Já o Atlântico repetiu o vice-campeonato de 2005 e a LNF segue sendo o único título que falta em sua galeria.

Esta também foi a segunda conquista do Pato na temporada, e contra o mesmo adversário e no mesmo ginásio. Em agosto, a equipe de Pato Branco derrotou o Atlântico de virada na decisão da Taça Brasil, disputada em jogo único, também na prorrogação.


Atlântico cumpre missão no tempo normal

Depois de perder o jogo de ida por 6 a 0 em Pato Branco, o Atlântico precisava vencer por qualquer placar no tempo normal para forçar a prorrogação. E conseguiu, contando com o brilho do artilheiro Keké, que anotou duas vezes, deixando os donos da casa em vantagem. Alemão diminuiu, mas Café aumentou a vantagem do Galo na etapa inicial.

No começo do segundo tempo, Selbach ampliou para 4 a 1 e deixou o Atlântico perto do seu primeiro objetivo. Ernandes descontou logo na sequência e colocou fogo na partida, mas o goleiro Careca, com defesas seguras, garantiu a vitória da equipe de Erechim no tempo normal, forçando a realização da prorrogação.


Dí Maria brilha no último minuto da prorrogação e dá título ao Pato

No tempo extra, o Atlântico jogava pelo empate e o Pato, necessitando da vitória, foi para cima. E logo no primeiro minuto, Ernandes colocou os visitantes em vantagem. No fim do primeiro tempo, Café converteu tiro livre e empatou, para delírio da torcida gaúcha.

O segundo tempo foi dramático e o jogo ficou totalmente aberto, mas o Atlântico conseguia segura a igualdade que lhe dava a taça e ameaçava nos contra-ataques. Até que, no último minuto, Dí Maria, ex-ACBF, fez bela jogada individual e marcou o gol da vitória e do título inédito para o futsal paranaense. Festa dos visitantes, tristeza dos mandantes.


Galeria dos campeões
1996: Internacional (Rio Grande do Sul)
1997: Atlético-MG (Minas Gerais)
1998: Ulbra (Rio Grande do Sul)
1999: Atlético-MG (Minas Gerais)
2000: Vasco da Gama (Rio de Janeiro)
2001: ACBF (Rio Grande do Sul)
2002: Ulbra (Rio Grande do Sul)
2003: ACBF (Rio Grande do Sul)
2004: ACBF (Rio Grande do Sul)
2005: Jaraguá (Santa Catarina)
2006: ACBF (Carlos Barbosa)
2007: Jaraguá (Santa Catarina)
2008: Jaraguá (Santa Catarina)
2009: ACBF (Carlos Barbosa)
2010: Jaraguá (Santa Catarina)
2011: Santos (São Paulo)
2012: ADC Intelli (São Paulo)
2013: ADC Intelli (São Paulo)
2014: Sorocaba (São Paulo)
2015: ACBF (Rio Grande do Sul)
2016: Corinthians (São Paulo)
2017: Joinville (Santa Catarina)
2008: Pato Futsal (Paraná)