TRIBUNA 27/06/2020 18h05

“Estou à disposição”

Ido Dupont reconheceu, pela primeira vez, a possibilidade de concorrer a prefeito

Em conversa com a coluna na tarde dessa sexta-feira, 26, o empresário Ido Dupont reconheceu, pela primeira vez, a possibilidade de concorrer a prefeito de Santa Cruz do Sul. Quando se filiou ao PSD em março, o proprietário da Dupont Distribuidora e ex-presidente da Oktoberfest disse que não tinha planos de participar da eleição e que havia aceitado o convite apenas em gratidão ao apoio dado pelo governo Telmo à sua empresa. Agora, porém, ele confirmou que se apresentou como possível candidato. “Estou à disposição”, disse.

Não é brincadeira
Nos corredores da política local, a possibilidade da candidatura de Dupont é considerada grande e seu nome vem sendo incluído em pesquisas de intenção de voto.

“Tanto faz”
Embora essa não seja a primeira vez que seja sondado para disputar o Palacinho, Dupont diz que se encorajou para colocar seu nome agora pela “maturidade” e por entender que pode “contribuir com o município”. Afirma ainda que estaria disposto a defender o governo Telmo em uma campanha por entender que ele deixará “um belo legado”. Questionado se aceitaria ser candidato a vice em uma chapa, deixa em aberto: “Tanto faz”.

A voz do povo
O PSD também tem como pré-candidatos Régis de Oliveira Júnior e Léo Schwingel. Dupont defende que a definição do futuro candidato passe por pesquisas.

Papo reto
O presidente do PP, Henrique Hermany, recebeu o vereador Hildo Ney Caspary em seu escritório nessa semana. Hildo Ney tenta convencer os progressistas a compor uma chapa com MDB, mas a família Hermany defende que não há como abrir mão da cabeça de chapa. Henrique alegou que tem o apoio garantido do diretório estadual para a candidatura própria. Hildo Ney disse que isso vai dividir e enfraquecer a oposição para enfrentar a chapa governista.

De conversa
Enquanto isso, MDB, PDT e PL vêm mantendo conversas nos últimos dias.

Na corte
O prefeito Telmo Kirst (PSD) ajuizou nessa semana uma ação indenizatória por danos morais contra o vereador oposicionista Mathias Bertram (PTB) por tê-lo chamado de “mentiroso” na tribuna da Câmara no início do mês.

O regresso
Conhecida por ser a autora da denúncia que levou o ex-vereador Paulo Lersch à prisão, Fabiane Mandler retornou à Câmara. Depois de filiar-se ao MDB em março e lançar-se candidata, ela assumiu cargo de assessora no gabinete de João Cassepp (PSDB).

LEIA OUTRAS COLUNAS DE PEDRO GARCIA