Investigação 11/06/2018 18h16 Atualizado às 18h49

Morte de homem na Coronel Jost ainda é mistério para a polícia

Investigação tenta solucionar o crime cometido contra Charles Juliano Lemos

Foto: Reprodução/Facebook

Charles tinha 39 anos
Charles tinha 39 anos

A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte de Charles Juliano Lemos, de 39 anos. Ele foi encontrado sem vida na manhã da última sexta-feira, 8, na esquina da Rua Coronel Oscar Jost e Avenida João Pessoa, próximo ao Parque da Oktoberfest, em Santa Cruz do Sul. A morte ainda é um mistério para os policiais, que ainda não têm certeza se trata-se de um crime. Nenhuma hipótese é descartada pelos investigadores, inclusive a de que Charles tenha sofrido uma queda e isso ocasionou a morte.

O corpo de Charles não apresentava ferimentos causados por arma ou por facadas. Tinha apenas uma lesão na cabeça. “Ele pode ter tido uma queda. Não descartamos nenhuma possibilidade. Pode ter sido um homicídio ou ainda uma morte natural”, explicou o delegado Paulo César Schirrmann, que responde interinamente pela 1ª Delegacia de Polícia. Para apurar o que causou o ferimento, os policiais aguardam pelo laudo médico. “Precisamos esperar essa prova técnica, que pode nem ser conclusiva”, explicou.

LEIA MAIS

A carteira de Charles, contendo documentos e dinheiro, ainda estava com ele quando o corpo foi encontrado, o que diminui as chances de se tratar de um latrocínio (roubo com morte). No entanto, o celular da vítima não foi encontrado junto ao corpo. “A gente não sabe se ele realmente estava com o aparelho ou se, na queda, caiu e alguém pegou”, afirmou o delegado. Também intriga a polícia que não há nenhuma informação de que Charles tivesse inimigos. “Era uma pessoa sem nenhum tipo de problema para que alguém quisesse matá-la. Ainda temos muitas dúvidas. Não temos certeza se estamos tratando com um crime.”