Violência no trânsito 10/07/2018 16h28 Atualizado às 20h16

Em quatro anos, acidentes com caminhões mataram 37 pessoas na RSC-287

De acordo com levantamento do Detran, a maioria dos casos foi em Venâncio Aires, que é o município que possui a maior extensão da rodovia na região

Os acidentes com caminhões deixaram 37 pessoas mortas na RSC-287, entre 2014 e 2017. Os dados foram divulgados pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RS). De acordo com o órgão, no período, aconteceram 31 acidentes na rodovia, a maioria em Venâncio Aires, onde foram registrados seis deles. O município, que possui a maior extensão da rodovia no Vale do Rio Pardo, teve sete mortos em decorrência de acidentes com caminhões, conforme o Detran.

Ainda segundo o levantamento, Vera Cruz teve dois acidentes e duas mortes; Santa Cruz do Sul teve quatro acidentes e cinco mortes; Candelária três acidentes e três mortes; Montenegro quatro acidentes e sete mortes; Agudo um acidente e uma morte; Paraíso do Sul dois acidentes e duas mortes; Restinga Seca um acidente e uma morte; Taquari quatro acidentes e quatro mortes; Triunfo três acidentes e três mortes; e Vale do Sol, um acidente e duas mortes. 

Os dados foram divulgados pelo Detran/RS na 20ª edição da Transposul - Feira e Congresso de Transporte e Logística, no final de junho no Fundaparque, em Bento Gonçalves. No Rio Grande do Sul, entre os anos de 2014 e 2017, houve redução de 22,7% nos acidentes com morte envolvendo caminhões. O número passou de 437 em 2014 para 338 em 2017. O registro de mortes também caiu de 509 em 2014 para 395 em 2017. 

LEIA MAIS

Do total de acidentes no período de quatro anos (1.531), 899 foram colisões frontais ou traseiras (58,7%). Segundo o Detran, a estatística está associada a comportamentos de risco tais como ultrapassagens indevidas, excesso de velocidade e falta de distância de segurança. Considerando a participação das vítimas, do total de 1.792 mortes, 782 foram de condutores dos veículos envolvidos - não necessariamente dos caminhões - (43,6%), 356 eram passageiros desses veículos (19,9%), 334 eram motociclistas (18,6%). Outros 203 eram pedestres que vieram a óbito (11,3%). 

*Com informações do Governo do Estado