Estatística 11/07/2018 01h38 Atualizado às 19h15

Furtos de veículos despencam 58% em Santa Cruz

Queda ocorreu entre janeiro e junho deste ano e é atribuída a capturas e operações especiais realizadas pelas três polícias

Depois de ficar entre os municípios com mais casos de furtos de veículos nos primeiros quatro meses do ano, Santa Cruz do Sul fechou o primeiro semestre de 2018 com uma redução de 58% nesse tipo de crime. Com a melhora, o município passa da quinta para a oitava posição no ranking estadual em volume de furtos de automóveis e motocicletas. Divulgado nessa terça-feira, 10, pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), o balanço dos indicadores criminais da primeira metade do ano também apontou reduções em outros oito tipos de delito, dentre eles roubos, furtos e abigeatos.

No comparativo com o mesmo período do ano passado, os latrocínios (roubo com morte) tiveram uma queda de 100%. Em 2017 haviam sido registrados dois casos; neste ano, não houve nenhum. Já os estelionatos foram reduzidos de 126 para 71, enquanto os episódios de abigeato (furto de gado) baixaram de 14 para seis. Os delitos envolvendo armas e munição tiveram um pequeno incremento, de 38 para 39 ocorrências. Casos de posse de drogas, por sua vez, aumentaram de 30 para 32.

Titular da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), o delegado Marcelo Chiara Teixeira atribui a redução dos furtos de veículos às prisões feitas pela Defrec e Polícia Federal no início deste ano. Os suspeitos integravam quadrilhas que cobravam “resgate” para devolver veículos furtados aos proprietários. “Quase todos os furtos eram destinados à posterior prática de crime de extorsão contra as vítimas”, comentou.

Desde fevereiro, nove dos principais envolvidos nesses delitos foram presos. Embora as extorsões continuem sendo registradas, Chiara afirma que a frequência das ocorrências diminuiu consideravelmente. Todos os casos continuam sob investigação. Quanto ao aumento nos índices de tráfico e posse de entorpecentes, a avaliação que ele faz também é positiva. “Isso significa que as forças de segurança estão intensificando o combate a esse tipo de crime, realizando mais apreensões e prisões”, observou.

Para o  comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Giovani Paim Moresco, a melhora dos indicadores é fruto da soma das prisões realizadas pelas polícias Civil e Federal com o aumento do policiamento ostensivo e da atuação do serviço de inteligência da Brigada Militar. “Nós mantínhamos um monitoramento aprimorado em cima desse tipo de delito, pois ele representava uma parcela significativa dos indicadores de criminalidade do município. Nesse contexto, o uso das motocicletas pela Brigada tem ajudado muito a coibir os furtos de veículos. Seguindo o trabalho que vem sendo feito, acredito que teremos uma redução ainda mais significativa nos próximos meses”, detalhou o comandante.