Futuros PMs 04/12/2018 00h13 Atualizado às 06h47

Como é a rotina dos 144 alunos na Escola de Formação de Soldados

Aprovados no concurso da Brigada Militar passarão por treinamentos, além de estagiar no policiamento da região

Divididos em cinco turmas, 144 aprovados no concurso da Brigada Militar iniciaram nessa segunda-feira, 3, as aulas na Escola de Formação de Soldados de Rio Pardo. O curso, que tem duração de 1.675 horas, exige que os alunos se dediquem em tempo integral, entre aulas teóricas, práticas, treinamentos físicos, disciplinas a distância e estágios operacionais.

Respeito, conduta e disciplina estão entre os primeiros aprendizados dos futuros policiais. “Às 6 horas é o toque da alvorada, quando uma corneta marca o horário de acordar, e às 22 horas o mesmo som sinaliza o toque de recolher. São ritos militares, assim como o ensinamento de ordem unida, onde eles aprendem a se posicionar, marchar e prestar continência, e que são ensinados desde os primeiros dias”, detalhou o major Clademir Machado Flores. Também fazem parte do currículo os treinamentos de tiro, relações humanas, defesa pessoal e direitos humanos.

Durante o curso, que chegará ao fim em agosto do ano que vem, os alunos ficam hospedados nos alojamentos da escola. “É complicado conciliar o tempo de estudo com a família, ainda mais para quem é de longe. Mas temos que nos dedicar, porque vamos atuar na segurança pública, impactando diretamente na comunidade. Então, qualquer erro pode ser fatal”, comentou o soldado em formação Willian Dornelles, de 25 anos. Natural de Sobradinho, ele sonhava em ser policial desde criança.

O mesmo sonho é compartilhado pela colega Paola da Silva Vaz, de 21 anos. De Santa Maria, ela estudou no Colégio Tiradantes da Brigada Militar e pretende se dedicar ao ensino. “Acabei migrando para o Direito pensando em uma futura promoção, como capitã, mas cheguei a cursar Pedagogia por um tempo e pretendo atuar nessa área dentro da Brigada.”

Foto: Rodrigo AssmannPaola: objetivo é ensinar dentro da BM
Paola: objetivo é ensinar dentro da BM

 

Além do compromisso com a comunidade, a nota dos alunos é fundamental para decidir o futuro dos soldados, já que é com base nela que são decididos os lugares onde eles irão trabalhar após a formatura. “Os alunos com o melhor desempenho têm prioridade para escolher a cidade para onde irão. É uma disputa acirrada, que se define na terceira casa após a vírgula”, comentou o major. Quando há empate, a decisão é tomada com base na idade, priorizando o soldado mais velho.

Saiba mais

- 144 futuros soldados iniciaram as aulas ontem em Rio Pardo.
- São 113 homens e 31 mulheres.
- Os alunos acordam às 6 horas com o toque da alvorada.
- As aulas começam às 7h30 e se encerram às 18h45.
- Após as aulas são realizadas atividades extras, que se encerram por volta das 21 horas.
- Às 22 horas, uma corneta marca o toque de recolher.
- Ao todo são 1.676 horas de aula e 30 horas de estágio.
- Além do estágio operacional, os alunos atuam na vigilância do quartel, durante a noite, desde os primeiros dias de curso.
- Durante a formação, os alunos recebem um salário de soldado, que é de R$ 4,3 mil (bruto).

Foto: Rodrigo AssmannWillian: sonho de infância concretizado
Willian: sonho de infância concretizado
 

Alunos começam a estagiar em fevereiro

A partir de fevereiro do ano que vem, os soldados em formação devem passar a atuar nas ruas do Vale do Rio Pardo. Além do estágio operacional de 30 horas, que pode ser realizado em todo o Estado, os futuros policiais militares também devem reforçar o policiamento ostensivo da região. De acordo com o major Clademir Machado Flores, municípios como Santa Cruz do Sul, Encruzilhada do Sul e Pantano Grande devem ser contemplados com os novatos. “São locais próximos, para onde é possível que eles se desloquem para trabalhar e retornem. Será um reforço visível nas ruas da região.”

A estrutura da escola

 A Escola de Formação de Soldados funciona na sede do 2º Batalhão de Polícia Militar de Rio Pardo e foi totalmente reformada para receber os alunos. Além de limpeza e pintura, o quartel recebeu novos equipamentos, como ar-condicionado para a sala de aula, móveis para os alojamentos e um novo estande de tiro. O restauro foi feito pelo próprio efetivo do 2º BPM, com auxílio da comunidade e do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo.