Venâncio Aires 03/01/2019 14h59 Atualizado às 21h47

Padrasto se diz apaixonado por adolescente após abusar dela por seis anos

Vítima deve passar por exames que comprovem o estupro; homem ainda propôs casamento com mãe e filha

A Polícia Civil de Venâncio Aires investiga o estupro de uma adolescente, que seria sexualmente assediada pelo padrasto há pelo menos seis anos. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia nessa quarta-feira, 2. Conforme o delegado Vinicius Assunção, a mãe da vítima contou aos policiais que soube dos abusos no último dia 25 de dezembro.

Em uma conversa, a menina de 14 anos teria revelado à mãe que o padrasto, de 40 anos, esperava a companheira ir trabalhar, levava a jovem para o quarto, a despia e cometia o estupro. O crime acontecia desde os 8 anos da adolescente, no interior de Venâncio Aires.

Depois da conversa, a mulher de 50 anos confrontou o companheiro. “Quando ela o questionou, ele disse que era apaixonado pela menina. Ele ainda queria que os três vivessem juntos”, comentou o delegado. A mulher e a filha saíram de casa, se abrigando na residência de familiares, e o caso foi registrado na polícia.

Conforme o delegado Vinicius, foram solicitadas medidas protetivas em favor das duas. A partir de agora, serão colhidas as provas que comprovem o crime. “A menina será ouvida diretamente no Fórum, em uma oitiva especial. Ela também foi encaminhada para exame pericial, para que seja atestada a conjunção carnal”, explicou.

O requerimento de investigação já foi instaurado e, caso fique comprovado o crime, o homem deve responder por estupro de vulnerável. A pena, segundo o delegado, é de no mínimo oito anos e no máximo 15. “Entretanto, ainda há o agravante da relação de subordinação entre eles, por ele ser padrasto da vítima, que pode aumentar a pena.” Os nomes dos envolvidos não são divulgados para preservação da adolescente.