Santa Cruz 14/03/2019 18h08 Atualizado às 21h23

Fiscal de trânsito denuncia ofensas racistas em grupo de WhatsApp

Mensagens foram enviadas na manhã desta quinta-feira

Ofensas racistas motivaram o fiscal de trânsito santa-cruzense Rodrigo Ipê da Silva, de 36 anos, a registrar uma ocorrência na Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA) nesta quinta-feira, 14. Vítima de mensagens enviadas em um grupo de WhatsApp, o servidor da Prefeitura também entrou com um processo na Justiça contra o acusado.

Foi ainda nesta quinta-feira que ele soube das mensagens, através de um amigo que participa do grupo em que o conteúdo foi enviado. O acusado, de 21 anos, teria ofendido o fiscal depois de tê-lo visto durante o trabalho. “Ele escreveu no grupo que não tinha parado na faixa de segurança. Em seguida, me ofendeu com uma expressão racista e um palavrão depois. Mais adiante, falou o meu nome”, contou Ipê. O fiscal guardou um print com a declaração do acusado, onde consta a expressão “aquele nego fdp”. 

Foto: Divulgação

 

“Eu me senti muito mal. Sim, sou o único negro fiscal de trânsito em Santa Cruz, mas se estou lá é porque eu estudei, batalhei, lutei muito. Agora, eu não tenho nem vontade de sair de casa mais”, desabafou o servidor, que irá completar seis anos de trabalho na Fiscalização de Trânsito.

A expectativa é de que o jovem não fique impune, conforme Ipê. “Depois dizem que não existe racismo, que é coisa da nossa cabeça. Existe, e muito. No trânsito, ouço ofensas demais, relacionadas à cor da minha pele. Não vou admitir isso.” O acusado chegou a pedir desculpas para o fiscal, através do WhatsApp, mas Ipê garante que irá prosseguir com o processo.