Crime 05/07/2019 16h20 Atualizado às 19h15

Santa-cruzense é indiciado por morte de policiais em Porto Alegre

Além dele, gerente e líder do tráfico foram indiciados pela Polícia Civil

Aos 19 anos, um santa-cruzense acumula duas condenações, um terceiro processo e, desde esta sexta-feira, foi indiciado pela morte de dois policiais militares, por integrar organização criminosa e por porte de arma de fogo. Lucas Iago da Rosa foi indiciado juntamente com Rogério Duarte Nascente, 32 anos, e Vladimir Cardoso Soares, 49 anos.

O santa-cruzense teria participado da morte dos policiais Rodrigo da Silva Seixas, 32 anos, e Marcelo de Fraga Feijó, 30 anos, baleados durante um confronto com criminosos em um conhecido ponto de tráfico do Bairro Partenon, na Zona Leste da Capital.

Lucas, o santa-cruzense, foi apontado no inquérito policial como segurança do ponto de tráfico. Ele dividia o “serviço” com o pai, Cleber Josué da Rosa, de 44 anos, também santa-cruzense e que morreu durante o confronto no dia 26 do mês passado.

LEIA MAIS: VÍDEO: Policiais de Santa Cruz prestam homenagem a PMs mortos

Nascente foi apontado como gerente do ponto e Vladimir Cardoso Soares, líder do tráfico no Beco da Bruxa, onde a morte dos policiais e de um dos criminosos aconteceu. O inquérito foi entregue nesta sexta-feira, 5, à Justiça, após a conclusão das investigações pela Polícia Civil.

Na época em que ainda morava em Santa Cruz, em 2008, Cleber matou o próprio irmão, Genésio Batista da Rosa. Segundo a Justiça, o crime aconteceu no Bairro Pedreira e foi motivado por ciúmes. Lucas, por sua vez, cumpria pena no regime semiaberto por tráfico de drogas. Por falta de tornozeleira eletrônica, ele não estava sendo monitorado.

LEIA MAIS: Suspeitos de matar PMs na Capital são naturais de Santa Cruz