Combate ao tráfico 08/07/2019 22h48 Atualizado às 06h42

Homem preso nesta segunda seria dono de outros armazéns de drogas

Entorpecentes foram encontrados em tonéis enterrados sob o assoalho de casa na beira da RSC-287, em Santa Cruz do Sul

No início da tarde dessa segunda-feira, 8, a Polícia Civil encontrou 21,4 quilos de entorpecentes dentro de tonéis enterrados sob o assoalho de uma casa, às margens da RSC-287, em Santa Cruz do Sul. A ação, realizada a partir do cumprimento de um mandado judicial, aconteceu menos de uma semana após a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) realizar a maior apreensão do ano, na última quarta-feira, quando 25 quilos de cocaína foram localizados. No lugar onde as drogas foram apreendidas nessa segunda-feira, no Bairro Renascença, os agentes também prenderam o suspeito de armazená-las e distribuí-las. O homem, de 30 anos, seria responsável por outros dois depósitos descobertos anteriormente pela Draco. Ele e a companheira, de 20 anos, foram presos em flagrante.

LEIA MAIS: Polícia Civil faz nova apreensão de drogas em tonéis enterrados

Apesar da semelhança com o episódio da semana passada – em ambos os casos, a estratégia era enterrar tonéis com as drogas, em propriedades que costeiam a RSC-287 –, os entorpecentes recolhidos nessa segunda pertenciam a um grupo diferente. Enquanto o bando da semana passada responderia diretamente aos líderes da facção Os Manos, que comanda a traficância de dentro dos presídios, o preso trabalhava para um outro traficante, de menor escalão, que também está detido no sistema prisional. Embora seja “filiado” à facção, ele é conhecido por atuar de forma independente, comandando um pequeno grupo que comercializa entorpecentes em Santa Cruz, Venâncio Aires e municípios no Centro-Serra.

“Este indivíduo já havia sido preso em flagrante por tráfico de drogas e é investigado em pelo menos outros dois casos. Ele cumpriu pena por um tempo e agora estava utilizando tornozeleira”, detalhou o delegado Marcelo Chiara Teixeira, que comanda a Draco. Na residência foram localizados 16,3 quilos de maconha, 3,6 de crack e 1,5 de cocaína, avaliados em cerca de R$ 150 mil. Embora a Polícia Civil não tenha divulgado os nomes dos presos, a reportagem apurou que eles são Luiz Fernando Pacheco Carvalho e Fernanda Gabriella Folleto Paz, ambos santa-cruzenses. A jovem não tinha antecedentes e trabalhava como manicure. Os dois foram conduzidos para o Presídio Regional de Santa Cruz do Sul e irão responder por tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico.

Apreendidos

  • 16,3 kg de maconha
  • 3,6 kg de crack
  • 1,5 kg de cocaína
  • 1 revólver calibre 38
  • 1 balança
  • Material para embalar droga
  • Anotações do tráfico
Foto: Fernanda Szczecinski/Gazeta do SulTonéis são usados para armazenamento
Tonéis são usados para armazenamento

Outros armazéns de drogas

De acordo com a Polícia Civil, o preso dessa segunda seria responsável por pelo menos outros dois depósitos de drogas descobertos pela Draco. Um deles ficava em um quarto alugado em uma casa no Bairro Santo Antônio. No cômodo, a polícia apreendeu 54 quilos de maconha, um fuzil alemão e munições de diferentes calibres. A apreensão aconteceu em setembro de 2017.

O outro ficava em um loft na Rua Imperatriz Maria Leopoldina, no Bairro Universitário. Nesse local, em outubro do ano passado, foram encontrados 6,7 quilos de maconha. Poucos dias depois, após uma perseguição, o suspeito foi preso em flagrante pela Brigada Militar, transportando 13,9 quilos de maconha. Dentro do bando, Luiz Fernando Pacheco Carvalho seria armazenador e distribuidor dos entorpecentes. “Ele não fazia a venda direta. Em nenhum dos locais nós contatamos movimento de compradores ou algo que demonstrasse que ele fazia mais do que armazenar. Além desses dois casos pelos quais já era investigado, agora ele vai responder pelo flagrante de hoje (essa segunda)”, comentou o delegado. A 2ª DP também participou da ação dessa segunda-feira.

A apreensão da semana passada
Na última quarta-feira, a Draco prendeu um rapaz de 20 anos entregando 25 quilos de cocaína pura em uma propriedade às margens da RSC-287, próximo à divisa com Vera Cruz. Os entorpecentes, avaliados em R$ 700 mil, seriam guardados no local, em tonéis enterrados no chão, e partiriam de lá em quantidades menores para as bocas de tráfico. A apreensão foi a maior deste ano no município. Na ocasião também foram encontrados dois quilos de maconha, crack e um revólver 38, com a numeração raspada.


MAIS LIDAS