Porto Alegre 06/08/2019 08h13 Atualizado às 11h35

Morre vítima de acidente com lareira em Vera Cruz

Juliane Gonçalves estava internada desde o último dia 27

Juliane Gonçalves, de 40 anos, morreu na madrugada desta terça-feira, 6. Ela estava internada no Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre, desde o dia 27 do mês passado, quando foi vítima da explosão de uma lareira ecológica, em Vera Cruz. Ela teve 66% do corpo queimado no acidente. A morte foi confirmada pela cirurgiã plástica responsável pela unidade de queimados do HCR, Maria da Graça Figueira Costa.

Conforme a assessoria de imprensa do Grupo Hospitalar Conceição, do qual o Hospital Cristo Redentor faz parte, Juliane faleceu por volta das 4 horas, em decorrência de falência múltipla dos órgãos. “Fizemos o possível, dentro do que existe de mais avançado na Medicina, mas o trauma foi realmente muito grave”, afirmou o médico que tratava Juliane, o cirurgião plástico Antonio Cortes Fernandes.

Ainda segundo a equipe do HCR, no tempo em que esteve internada Juliane passou por várias transfusões de sangue e deveria passar por uma cirurgia nessa segunda-feira, 5. No entanto, devido à instabilidade do seu quadro clínico, o procedimento não pode ser realizado. 

O hospital chegou a solicitar doações de sangue na semana passada, que seriam necessárias caso a cirurgia tivesse ocorrido. Juliane era casada e tinha um filho de 6 anos. Ela era professora e dava aulas na rede pública de Vera Cruz, para onde havia se mudado com a família há cerca de um ano e meio.

LEIA MAIS: Vítima de acidente com lareira precisa de doações de sangue

Na Escola Estadual Tenente José Jeronimo Mesquita, Juliane dava aula para uma turma de 2º ano. O educandário cancelou as aulas da tarde desta terça-feira, 6, e também não deve abrir as portas nesta quarta. "Todo mundo gostava dela, era uma ótima professora e uma ótima mãe", comentou a vice-diretora do Mesquita, Evandra Machado. De acordo com ela, Juliane seria natural de Pelotas e atuava na escola há cerca de um ano.