Acidentes 14/08/2019 10h37 Atualizado às 16h28

‘Foram fatalidades’, diz secretário ao garantir que a Rua São José é segura

Acidente dessa terça-feira foi o segundo nas proximidades em menos de três meses

Em menos de três meses foi registrada a segunda morte por acidente de trânsito em pontos próximos da Rua São José. Nessa terça-feira, 13, Ilson João Martens, de 48 anos, morreu após a moto que ele tripulava colidir em um carro, na esquina das ruas São José e Júlio de Castilhos, no Bairro Goiás. O filho dele, de 24 anos, teve a perna amputada após a colisão.

LEIA MAIS: Jovem vítima de acidente com moto tem perna amputada

Em 20 de maio deste ano, a jovem Thais Frantz, de 25 anos, morreu depois colidir, também de moto, com um automóvel Ônix. O acidente aconteceu no cruzamento das ruas 28 de Setembro e São José, uma quadra acima de onde Martens morreu nessa terça.

LEIA MAIS: "Ela não vai voltar, mas podemos conscientizar os outros", diz irmão de Thais Frantz

Porém, o secretário municipal de Transportes e Serviços Urbanos, Gérson Vargas, defende que a Rua São José é segura e está equipada com dispositivos como sinaleiras, lombadas e redutores de velocidade. “Ela é uma via de grande circulação. Em praticamente todos os cruzamentos há sinaleiras e sinalização”, ressalta o secretário.

Para Gérson Vargas, a recente adoção de mão única nas ruas Júlio de Castilhos e 28 de Setembro não oferece risco aos condutores. Pelo contrário: na avaliação do secretário, as mudanças tornaram o tráfego mais seguro em ambas as ruas, uma vez que movimentam o trânsito em sentido único. “Foram duas fatalidades, dois acidentes que infelizmente terminaram em morte em Santa Cruz”, comenta.

LEIA MAIS