Público feminino 23/10/2019 02h44 Atualizado às 19h06

Coordenadoria da Mulher faz acolhimento e proteção em Rio Pardo

Órgão criado em 2010 foi reinaugurado em nova sede. Espaço fica no Centro de Multiuso e reúne profissionais de diversas áreas

Prestes a completar uma década de criação, a Coordenadoria Municipal da Mulher de Rio Pardo está funcionando em novo endereço. A sede fica no Centro de Multiuso, na Avenida dos Amarais, que abriga também o Gabinete da Vice-Prefeita. Sem Delegacia da Mulher, Rio Pardo está entre as cidades gaúchas que apostam em outros serviços para garantir proteção ao público feminino – hoje, dos 497 municípios do Estado, apenas 22 possuem a delegacia especializada.

Para a advogada Jéssica Valentim, que atua na Coordenadoria, a nova instalação é um marco na proteção das mulheres no município. “Realizamos um amplo trabalho de divulgação sobre esse espaço, pois sentimos nas visitas às instituições a grande necessidade que havia de se ter um local de acolhimento e orientação para esse público”, comenta. De acordo com ela, além de acolher, o órgão é responsável por encaminhar as mulheres para os programas de assistência social, saúde e educação do município. “Agora no Outubro Rosa, por exemplo, estamos com um trabalho intenso com a saúde, promovendo os eventos de prevenção ao câncer de mama.”

Integrante da Coordenadoria, a vice-prefeita de Rio Pardo, Rosane Rocha, afirma que o espaço pode ser considerado um ponto de referência para as mulheres. “Temos orientação jurídica, auxílio para vítimas de violência doméstica e uma série de outras atividades. É um espaço onde já havia uma circulação de mulheres diariamente, participantes de clubes de mães, oficinas de artesanatos e outros cursos. E tudo isso pode ser acessado através da coordenadoria”, salienta Rosane. Além da boa recepção do público, ela destaca que as instituições comemoraram o novo espaço. “Delegacia, hospital... todos ficaram muito motivados. Temos uma equipe pequena, mas em pleno funcionameno e que conta com todo o apoio da rede”, frisa.

Os serviços oferecidos

  • Orientação e encaminhamento para a defensoria pública.
  • Direcionamento para assistência social, atendimento médico e demais órgãos da rede.
  • Aconselhamento para vítimas de violência doméstica, com encaminhamento para delegacia quando há necessidade de registrar boletim de ocorrência.
  • Oficinas de artesanato, clube de mães, grupo de teatro e de canto.
  • Cursos via Senar de culinária, artesanato, eletricista, preparação para o trabalho e outros.


Delegacia terá sala para mulheres, crianças e LGBTs

Conforme o delegado Anderson Faturi, que comanda a Delegacia de Polícia de Rio Pardo, o município tem uma média de dois casos de violência doméstica por dia. “É um volume grande e a Coordenadoria está sendo nossa parceira. É mais um órgão que vem para somar na defesa dos direitos das mulheres”, afirma.  
Segundo Faturi, a DP também terá uma sala para atender os grupos vulneráveis da população: mulheres, LGBTs, crianças e idosos. O espaço foi construído com mão de obra da Prefeitura e materiais e móveis doados, inclusive por meio da Coordenadoria. A inauguração deve ocorrer ainda neste mês.

Foto: Bruno PedryEspaço é semelhante à Sala das Margaridas, que funciona nas delegacias de plantão
Espaço é semelhante à Sala das Margaridas, que funciona nas delegacias de plantão