Luto 26/11/2019 19h10

Marciele foi a primeira policial mulher a morrer em ação no Estado

Caso da brigadiana cachoeirense foi o sexto de policial morto em combate em 2019

A morte da soldado Marciele Renata dos Santos Alves, que foi sepultada na tarde desta terça-feira, 26, em Cachoeira do Sul, foi a sexta de um policial no Rio Grande do Sul em 2019. Neste ano, outros cinco policiais já haviam tombado em ação no Estado, mas Marciele foi a primeira mulher a ser vítima da violência contra os agentes.

LEIA MAIS: Familiares, colegas e amigos se despedem da soldado Marciele Alves

Relembre os casos:

Em 17 de julho, o policial civil Edler Gomes dos Santos, de 54 anos, foi morto em uma operação de cumprimento de mandados em Montenegro. O agente fazia parte da equipe da Delegacia de Lavagem de Dinheiro do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

Em 10 de julho, o soldado Gustavo de Azevedo Barbosa Júnior, de 26 anos, foi baleado dentro da viatura durante um confronto em Porto Alegre. Ele foi atingido quando, junto com um colega, viu um carro que havia sido roubado. Ele foi levado para atendimento médico, mas não resistiu.

Em 26 de junho, dois policiais militares foram mortos durante uma troca de tiros no Bairro Partenon, Zona Leste de Porto Alegre. Rodrigo da Silva Seixas, de 32 anos, e Marcelo de Braga Feijó, de 30 anos, ambos parte do efetivo do 19º BPM, morreram durante a ação em ponto de tráfico.

No dia 24 de abril, o soldado Fabiano Heck Lunkes, de 34 anos, foi morto por assaltantes em Campina das Missões. Ele participava do cerco a criminosos que atacaram uma agência bancária em Porto Xavier quando foi atingido com um tiro de fuzil.