Segurança Alimentar 02/12/2019 09h23 Atualizado às 15h19

Estabelecimento comercial é alvo de operação em Santa Cruz

Ação verifica qualidade dos alimentos que são vendidos na cidade

O Ministério Público realizou uma operação em Santa Cruz do Sul na manhã desta segunda-feira, 2. O objetivo foi verificar os alimentos que são vendidos para a população. A iniciativa contou com a participação da Secretaria Estadual da Agricultura, Vigilância Sanitária Estadual, Vigilância Sanitária Municipal, Procon e das Secretarias da Agricultura de Santa Cruz e do Estado.

A vistoria ocorreu na Casa Colonial Tiradentes, na Rua Tiradentes, no Centro de Santa Cruz, onde foi recolhido um grande volume de mercadorias impróprias para consumo. A expectativa é de que outros estabelecimentos de Santa Cruz também sejam alvo da ação nos próximos dias. O relatório sobre eventuais problemas encontrados vai ser divulgado após a conclusão do trabalho.

A intenção é evitar irregularidades sanitárias, além de verificar a qualidade dos produtos e se eles são comercializados de maneira correta. A análise inclui itens de origem animal e pães, além do prazo de validade, acondicionamento, câmaras frias com temperatura correta, condições de higiene e procedência das carnes.

Esta é a primeira ação da Força-Tarefa Municipal de Segurança Alimentar, criada oficialmente em Santa Cruz no dia 13 de novembro. As fiscalizações devem ser rotineiras a partir de agora, com ênfase em locais apontados pelas investigações e por reclamações de consumidores.

A Força-Tarefa de Segurança Alimentar em Santa Cruz é integrada pelo Ministério Público, Secretaria de Saúde, Secretaria da Agricultura, Secretaria da Fazenda, Vigilância Sanitária, Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), Serviço de Inspeção Municipal, Inspetoria Veterinária, Unidade Central de Fiscalização Externa (Ucefex) e Guarda Municipal.

Segundo Jorge Loebens, coordenador do Serviço de Inspeção Municipal, o material apreendido é todo descartado em aterro sanitário. Procurados pela reportagem da Rádio Gazeta, os proprietários do estabelecimento alvo da operação da manhã desta segunda não quiseram se manifestar.

LEIA MAIS: Força-tarefa é criada para garantir segurança alimentar

Outras operações

Em outras duas oportunidades, o Grupo de Apoio de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Segurança Alimentar (Gaeco) apoiou ações em supermercados de Santa Cruz.

Em novembro de 2016, o volume de mercadorias impróprias para o consumo que foram apreendidas chegou a 12 toneladas. Um supermercado foi interditado.

Na segunda ação, em outubro de 2018, houve o recolhimento de 2,5 toneladas de alimentos e um supermercado também foi interditado.

LEIA MAIS
O que mudou após a visita da força-tarefa nos mercados
Força-tarefa do MP apreende 2,5 toneladas de alimentos