Venâncio Aires 16/07/2020 10h46

Homem atinge ex-esposa com tiro e é procurado pela Polícia Civil

Há uma semana, mulher registrou ameaça do ex-marido, com quem foi casada por 30 anos

A Polícia Civil de Venâncio Aires procura desde essa quarta-feira, 15, por um homem de 54 anos que disparou contra a ex-esposa, de 51, no interior do município. Conforme o delegado Vinícius Assunção, responsável pelo caso, a tentativa de feminicídio aconteceu nessa quarta, por volta das 19h30, na localidade de Linha Arroio Grande.

O casal, que foi casado por 30 anos, se separou há cerca de três meses. Na ocasião, o homem foi morar com os pais, no interior. Nessa quarta, a vítima levou o filho dos dois, de 31 anos, à casa dos avós paternos, ainda pela manhã. Foi ao buscar o rapaz, já à noite, na companhia da mãe, que o caso aconteceu. 

“Ao se aproximar da propriedade ela percebeu que o ex-marido estava aguardando. Quando ela chegou mais perto, ele tentou abrir a porta do carona e, de posse de uma arma longa, chegou a apontar a arma no rosto da vítima”, contou o delegado. A vítima conseguiu se desvencilhar e arrancar com o carro. Já durante a fuga, o homem disparou em direção ao veículo.

Segundo o delegado, o tiro quebrou o vidro traseiro e atingiu o ombro da mulher, que não teve a identidade revelada para preservação da vítima. Ela procurou refúgio na casa de familiares, que a levaram para atendimento no hospital e, após medicação e atendimento, à Delegacia de Polícia para registrar o crime.  

Foram solicitadas medidas protetivas e, agora, a Polícia Civil está atrás da arma do crime e do próprio autor do disparo. Segundo o delegado Vinícius, foram colhidos os depoimentos dos envolvidos e a expectativa é capturar o homem até esta quinta-feira, 17. “A Polícia Civil agora está empenhada em tentar capturar o autor do fato, gravíssimo, que acabou não levando ela [a vítima] a óbito apenas por ela conseguir se desvencilhar do seu algoz.”

LEIA TAMBÉM: Rede de proteção: conheça as frentes no combate à violência contra a mulher

Ameaça 

Há cerca de uma semana, a vítima já havia registrado uma ameaça do ex-marido, mas, na ocasião, não quis representar criminalmente. “Neste registro ela dizia, de modo sintético, que o ex-marido tinha ameaçado, quando ela encontrou com ele, jogar o veículo dentro de uma ponte com ela junto. Ela fez o registro de ameaça, optou por não solicitar medidas protetivas e nem representar criminalmente contra o ex-marido, fez só o registro de ocorrência simples”, explicou o delegado. Após a tentativa de feminicídio, no entanto, foram solicitadas as medidas protetivas.

LEIA TAMBÉM: A casa sigilosa que protege as mulheres da violência em Santa Cruz