MEIO AMBIENTE 05/11/2020 13h10

Patram começa fiscalização para garantir a piracema

Até o mês de janeiro, a corporação segue fiscalizando diferentes pontos do Rio Jacuí

Desde o último dia 1º, a Patrulha Ambiental da Brigada Militar (Patram) de Rio Pardo realiza uma operação para evitar crimes que possam prejudicar a piracema, período de reprodução dos peixes. Até o mês de janeiro, a corporação segue fiscalizando diferentes pontos do Rio Jacuí.

Nesta quinta-feira, 5, a equipe da Gazeta acompanhou o trabalho da Patram no anel de Dom Marco para tentar conter pescadores profissionais que utilizem redes de pesca. “Nessa época o uso de rede é proibido, tanto que o governo federal dá um incentivo financeiro para estes pescadores. Além disso, realizamos essas operações para garantir a segurança dos vigilantes das barragens. Ouvimos relatos de alguns que acabam sendo intimidados por pescadores, armados, quando tentam orientar sobre a necessidade de não pescar neste período”, explica o soldado Daniel Scremin.

LEIA TAMBÉM: Patram realiza operação no Rio Jacuí

O material, quando encontrado, é recolhido é encaminhado à delegacia. Os proprietários, se localizados, também são levados até a polícia. Desobedecer a norma é considerado um crime grave passível de multa mínima de R$ 700,00 e até reclusão de um a três anos.

Saiba mais
A piracema é um fenômeno que ocorre com diversas espécies de peixes. A palavra vem do tupi e significa subida do peixe. O processo recebe esse nome porque, todos os anos, eles nadam rio acima, contra a correnteza, para realizar a desova.

LEIA TAMBÉM: O poste foi, o ninho do tucano ficou: um exemplo de respeito à natureza em Santa Cruz