Tráfico de drogas 09/01/2021 09h30 Atualizado às 21h20

Segunda maior apreensão de maconha do Estado veio para Santa Cruz

Quase 6 toneladas da droga foram encontradas pela PRF e trazidas à delegacia da Polícia Federal no município, junto do motorista, que prestou esclarecimentos

Santa Cruz do Sul foi o destino da segunda maior apreensão de maconha da história do Rio Grande do Sul. Nos primeiros minutos dessa sexta-feira, 8, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou 5.830 quilos da droga escondidos em uma carga de 30 toneladas de milho, devidamente acompanhada das notas fiscais, na BR-386, no município de Fontoura Xavier. Por volta das 14 horas de sexta, as toneladas de droga e a carreta bitrem, com placas de Cascavel, no Paraná, além do motorista, foram trazidos para a sede da Polícia Federal (PF) de Santa Cruz do Sul.

O condutor do caminhão, de 26 anos, residente em Cascavel, no Paraná, e que não possuía antecedentes criminais, foi ouvido pelo delegado da PF, Elton Manzke. “Ele foi contratado para fazer o transporte da carga de milho de um município próximo de Cascavel até Arroio do Meio. Porém, nega que tinha ciência de que estava transportando algo ilegal, embora tenha relatado ter desconfiado após seu contratante lhe fornecer um telefone, que não o seu, para se comunicar, e orientá-lo para que seguisse algumas rotas não convencionais”, comentou o delegado.

LEIA TAMBÉM: VÍDEO: PRF e PF fazem a maior apreensão de maconha da história no Brasil


Segundo Manzke, o motorista parou em um posto de combustíveis em Tio Hugo, na região de Passo Fundo, onde recebeu nova orientação para que seguisse viagem. “Isso demonstra que estava sendo monitorado por alguém do esquema criminoso”, complementou o delegado. Após a formalização da prisão do condutor do caminhão, ele foi levado para o Presídio Estadual de Soledade, na região onde aconteceu o flagrante. Agora ele irá responder pelo crime de tráfico internacional de drogas – pelo fato de o entorpecente ter origem no Paraguai.

A pena para esse crime varia de cinco a 15 anos. A investigação do caso segue com a Polícia Federal de Santa Cruz do Sul. “Iremos realizar novas diligências para identificar quem está por trás desse transporte, bem como de todo o esquema arquitetado por essa organização criminosa. Já representei ao juiz federal para que quebre o sigilo dos dados telefônicos do celular apreendido com ele, que foi fornecido pelo seu contratante, já que o seu próprio ficou em Cascavel”, acrescentou o delegado Manzke. Ele também representou ao juiz pela incineração imediata da droga no depósito regional da PF, em Porto Alegre.

LEIA TAMBÉM: PRF prende traficante com três toneladas de maconha escondida em carga de milho

Logística organizada

Uma das características identificadas em crimes que envolvem o transporte de cargas contendo drogas é a logística organizada. Os caminhões utilizados realmente têm um frete contratado para transportar uma carga, lícita, de um ponto a outro. A certa altura do caminho, criminosos transferem parte do carregamento para outro veículo, a fim de abrir espaço para a droga, que é enxertada na carga.

Os dois veículos seguem um roteiro, até o ponto de entrega das drogas. Quando os itens ilícitos são descarregados, a carga legal é devolvida ao primeiro caminhão, que conclui o frete normalmente. Os motoristas costumam receber entre R$ 10 mil e R$ 20 mil para fazer esse tipo de transporte.

Caminhão foi trazido para Santa Cruz | Foto: Lula Helfer

Motorista foi pego dormindo em posto

Uma informação anônima chegou ao conhecimento da PRF ainda na noite de quinta-feira, 7, de que um caminhão com certas características estaria vindo do Paraná, com origem do Paraguai, para a região metropolitana de Porto Alegre. Com base nas informações consideradas “de credibilidade”, os policiais decidiram monitorar a rodovia. A carreta foi encontrada durante a madrugada, estacionada em um posto de combustíveis de Fontoura Xavier.

O motorista, de 26 anos, estava dormindo. Após ser acordado, ele acompanhou os agentes durante a vistoria na carga, que era, em tese, de milho a granel. Tão logo os policiais subiram no carregamento e iniciaram a busca, os primeiros fardos de maconha começaram a aparecer. Com isso, o motorista foi conduzido à delegacia da PRF de Lajeado, para o descarregamento do milho e apuração da quantidade exata da droga.

Como o cereal se destinava a uma empresa de Arroio do Meio – que não teve participação no fato –, foi descarregado no destinatário. Nessa ocasião, mais fardos de maconha foram encontrados e a quantidade inicialmente pesada foi ampliada, chegando a 5.830 quilos. Trata-se da segunda maior apreensão de maconha na história do Rio Grande do Sul, ficando atrás apenas dos 6.017 quilos encontrados em Lajeado, em 2018. Naquela oportunidade, o motorista detido também prestou esclarecimentos na sede da PF de Santa Cruz do Sul.

LEIA TAMBÉM: Nova viatura da PF é equipada com suporte para fuzis

Motorista foi pego em um posto de combustíveis de Fontoura Xavier | Foto: Lula Helfer

LEIA TAMBÉM: VÍDEO: PRF apreende 15 quilos de maconha que seriam revendidos em Santa Cruz